A pulseira mágica

Pois é. Vamos lá a ser sinceros. Quem é que, em todo o mundo, não comprou uma pulseira milagrosa, uma tal de Power Balance (imitações também valem)? Eu. Mas já lá vamos.

A pulseira, um avanço tecnológico importante no campo metafísico, físico e psicológico, foi uma ajuda importante para muita gente. Com ela, o utilizador ganhava maior capacidade física (flexibilidade/força) e bem-estar. Ganhava-se saúde. E mais, ganhava-se um equilíbrio que permitia andar ao pé-cochinho e de costas, numa corda que separava, por exemplo, as duas margens do Tejo. Juro.
Julgo que até se notavam diferenças para quem utilizava computador: a mestria com que se dominava o rato, era sem dúvida outra.

Um holograma que os astronautas utilizam no espaço fazia toda a diferença. Por isso tinha mesmo de ser uma cena espacial. Mas não pensem que o holograma fazia tudo sozinho. Não. Era necessária aquela borracha colorida a envolvê-lo. Senão era como comer uma tosta mista sem queijo. Juro.

E para retirar dúvidas aos mais cépticos, era feito um teste infalível, que pode ser visto aqui:


O facto do teste sem Power Balance ser feito puxando o braço para o lado (desiquilíbrio óbvio) e com Power Balance ter sido apenas feita força para baixo (tudo OK), concerteza não tem influência. Nem isso nem o facto da pessoa já ter passado antes pelo teste e saber, mesmo inconscientemente o que vai suceder. Uma maravilha!!! Juro.

Fui marginalizado por alguns amigos. Foi duro, mas aconteceu. "Ah, mas com a pulseira tinhas marcado aquele golo, saltavas até lá acima e fazias pontapé de bicicleta. Não sejas parvo, o facto de estares a 62 metros da baliza não seria um problema". Ou "A sério, vais ver que vais dormir melhor. Eu levantava-me a meio da noite para ir fazer um xixi e agora mijo-me na cama. Mas não me levanto". As possibilidades eram infinitas. Eu devia ser mesmo otário para não acreditar naquilo. E mais, vejam bem...eu gozava com quem tinha a pulseira. Onde tinha eu a cabeça...

Aliás, figuras públicas de ímpar importância utilizavam a pulseira. Se elas utilizavam, então era garantia de fiabilidade, certo? Ainda existe alguém com dúvidas? Mas o Azeiteiro (Cristiano Ronaldo) tinha uma. Pois é, com esta desarmei-vos. Era porque funcionava.

Aliás, acho que para se conseguirem resultados ainda mais extraordinários (difícil, admito), o ideal era isto:

Eis que, inesperadamente, vindo do nada, qual geração espontânea, começam a surgir rumores de que a pulseira é um engano, um embuste para fazer dinheiro com tótós sedentos de se tornarem pessoas melhores. E eu digo tótós para não ofender o prezado leitor.

Uma das últimas notícias aponta para uma condenação, por publicidade enganosa, no valor de 42 milhões de dólares, só nos Estados Unidos.
A empresa foi obrigada a publicar isto:


Em Portugal a DECO não registou queixas, porque aqui resultou tudo. Pena o Sócrates não ter utilizado uma para equilibrar o País... Ou será que utilizou?!


5 comentários:

  1. O que a Power Balance fez não foi nada de especial há produtos destes todos os dias por aí tem tudo a ver com marketing... A maior parte das pessoas não se queixa porque queria estar na moda, era a pulseira da modinha... Há uns meses atrás vi um empresário na área do calçado a dizer que registou uma marca em Itália e isso lhe permite vender os sapatos pelo triplo do preço ou seja os sapatos feitos cá vendidos com uma marca de cá valem 10 euros mudas o nome para balotteli e já valem 30 euros :) e ninguem se queixa... As calças da pepe jeans sao feitas ca por um preço simbólico vão para Inglaterra e voltam com o triplo ou quadruplo do preço :) ninguém se queixa tb :) acho que somos todos uns carneiros em algumas coisas porque o homem é um ser social, mas felizmente nao pertenci à carneirada que foi na historia da pulseira ;-)

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal a DECO não registou queixas, porque aqui resultou tudo. Pena o Sócrates não ter utilizado uma para equilibrar o País... Ou será que utilizou?!

    Esta é de mestre, meu filho ...

    ResponderEliminar
  3. LOL

    Quando ví a notícia que confirmava a fraude que é tal milagrosa pulseira não pude deixar de me rir, tb eu fui aliciado por pessoas próximas para a sua compra devido aos seus benefícios. A minha resposta na altura foi não obrigado, isso é o velho esquema da banha da cobra e ainda por cima a pulseira é feia, já ví pulseiras de festivais mais bonitas.
    Quando ouvi o argumento que o segredo era o 'holograma quantico' ainda mais certo fiquei do embuste que era.

    O que virá a seguir? A pulseira aceleradora de particulas?

    ResponderEliminar
  4. A malta nova não se recordará (ok,eu sou um puto, mas guardo uma quantidade de informação completamente inútil no meu cérebro que só sai em raras ocasiões, ou quando jogo trivial pursuit),

    mas nos 80's existiu uma pulseira de arame grosso com duas bolas na ponta que cumpriu o papel de power balance. Supostamente, um poder magnético, enxaquecas, energia, etc.

    Só espero lembrar-me de comercializar outra coisa do género daqui a 30 anos... Ficarei milionário aos 65...

    ResponderEliminar
  5. Zeca, Pai, Anónimo, Valdemar,

    Todos estão comigo. Mas as estatísticas apontam que 1 em cada 3 portugueses usaram a pulseira. Ou há um de vocês que me está a tangar ou o resto da malta enfia a carapuça e prefere deixar de seguir este tasco!

    ResponderEliminar