Évora e o Templo que, afinal, não é de Diana!

Évora. Cidade de estudantes, mas não só. Cidade bonita, pequena e de gente simpática. Cidade com uma réstia romana bem conhecida.
A hora e pouco de distância de Lisboa, chega-se ao destino. Juntam-se uns €8 de portagens só para chegar e a coisa está feita. A juntar ao preço dos combustíveis, temos portagens pornográficas por meia dúzia de km's. Portugal, Portugal, Portugal! 

O carro é para estacionar e não mais pegar nele até voltarmos a casa. É uma cidade que se conhece a pé, por entre o seu pedaço de história e suas lojas e restaurantes mais ou menos típicos.

Tudo o que se passa, passa-se à volta da Praça Giraldo. É no centro que está a virtude. E é nele que se encontra o Évora Inn Chiado Design.

Praça Giraldo

A decoração é super nice, sentimo-nos numa mescla de sensações, qual "antiguidade moderna".
O problema? As obras não terão sido completas. Num dos quartos, água quente para 5 minutos e com um cilindro sem capacidade de recuperação (30 minutos não é lá grande recuperação). No outro, um poliban que não tem capacidade para aguentar a quantidade de água que é expelida pelo chuveiro. Basicamente lava-se a cabeça, desliga-se a água para esta não transbordar, esperam-se uns minutos e então sim, lava-se o corpo.
A curiosidade: foi neste restaurado edifício (2010) que foi proclamada a República em 1910.

De visita a Évora, para uma sessão de autógrafos. Afinal não.

O Mercado Municipal foi bem pensado. Criou-se um género de pavilhão onde os locais vendem os seus queijos, vinhos, azeites, enchidos e outros que tais. Mas tem um aspecto desanimador: são raras as "lojas" abertas.

Mercado Municipal

Ao lado encontra-se a Capela dos Ossos. Um local macabro e cheio de terror! Ou talvez nem tanto.
Na entrada o Sr. cobra-nos €2 pela visita e €1 extra se quisermos tirar fotografias dentro da sala. Atenção: é uma sala apenas, com pouca luz, onde já pagámos o direito de lá entrar. Onde não existem inconvenientes de se tirarem fotografias. E onde pedem mais dinheiro para as podermos tirar. Ridículo. Mas gostei da placa a alertar que a sala está a ser vigiada por um circuito de televisão inexistente.
Como já sabem, fiz-lhes um manguito e tirei as fotografias. Como quase todos fizeram.
Gostei da frase à entrada "Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos".


Mais de 5000 corpos foram utilizados...

Em baixo está o Jardim Público. Tem um café e uma esplanada, está-se bem. Dá para o meu mais velho brincar à vontade, correr, saltar, estar com os amigos...já sabem. E tem um lago com uns patos. 
Ainda bem que ele existe, mas é relativamente pequeno e sem grande envolvência. Mas quando estamos habituados a grandes cidades, reparamos mais nestes pormenores.

Por trás da Praça Giraldo (podem consultar aqui o mapa turístico do centro histórico), acabamos eventualmente por dar de caras com a Sé (a Catedral). Bonita por dentro, com um enorme orgão de tubos e grandes candelabros, caíndo do tecto até perto de nós. Lá dentro um tipo ao telefone. Vigilantes alertadas, nada fizeram. Portugal também é isto.


Pagando mais um extra, é possível ir ao topo da Catedral e ver a cidade lá do alto. E perceber que o Templo de Diana está já ali ao lado.

Pelo meio, uma afirmação curiosa numa parede:


Chegando ao Templo Romano, o de Diana, parece que estamos na Grécia antiga. Mas pronto, isso também desaparece passados 2.3 segundos. Mas é bonito. E dá que pensar: mas porque raio este era o Templo de Diana?! E o que esperam vocês? Que Évora tenha, obviamente, uma sinalética, uma tableta sobre tão grandioso e importante monumento, explicando e dissertando dalguma forma sobre o mesmo...afinal, é o maior símbolo da cidade. Pois é, já perceberam: não existe nada. N-A-D-A. Uma vergonha. Porque isto meus amigos, é vergonhoso.
A cidade tinha bastantes estrangeiros. E vamos ser sinceros: é uma cidade interessante, mas não tem assim tanto para oferecer. Uma cidade que é ainda mais conhecida por existirem faculdades, um Templo Romano e uma Capela dos Ossos. E o que tem, devia estar super aproveitado para receber os turistas, nacionais ou não.
A verdade é que são inúmeros os locais sem referências históricas. O Templo é o exemplo mais flagrante. Fiquei desiludido e revoltado. Não compreendo estas situações por parte do nosso País.


Mas nós, no Simão, Escuta, queremos o melhor para os nossos leitores. E por isso, após profunda investigação de vários artigos científicos, culturais e futebolísticos, bem como de inúmeras conversas com a população local, descobrimos que o Templo foi construído no século I e modificado nos séculos II e III. Entretanto os Bárbaros apareceram no pedaço e deram cabo daquilo, isto no século V. Foi uma construção em honra do Imperador Augusto...sendo que a Diana seria, provavelmente, alguma giraça lá da zona. Esta parte dizemos nós. Na verdade vem tudo daqui

Findas as grandes atracções, sigam em direcção ao Molhóbico, um restaurante-bar muito boa onda, onde podem ver futebol e beber um copo, ter uma boa refeição enquanto ouvem música rock...e mais tarde ouvir uma das muitas bandas ao vivo que por lá "moram". Podem vê-lo aqui

Como nota final, deixo a constatação de que 50% desta cidade esta ou à venda, ou para arrendar. Com o devido exagero.


E pronto, Évora é isto! Bom, há-de haver muito mais para contar. Desafio a quem conhecer bem a cidade, a deixar-nos relatos e indicações interessantes.

20 comentários:

  1. Em relação ao teu desafio nada feito da minha parte, pois só conheço de Lisboa para cima, e mal, mas posso eu desafiar-te a fazer mais um diário, agora de cidades portuguesas =)
    E não esquecer os arquipélagos!

    ResponderEliminar
  2. Sim, é verdade. O Tempo não é a Diana, mas sim ao culto Imperial.

    Ficou assim baptizado por se ter encontrado uma estatueta nas escavações arqueológicas, salvo erro...

    ResponderEliminar
  3. Gosto tanto da Capela dos Ossos, e fiquei piursa quando lá fui e o senhor me quis cobrar 1 euro para eu poder tirar fotografias, era o que mais faltava, não incomodo ninguém, os mortos já não falam e a máquina é minha. Nem pensar!

    Ps. e não paguei e tirei fotografias, e apontei o dedo ao senhor furiosamente, abanando-o enquanto lhe expunha o meu ponto de vista.

    Ao teu relato não tenho nada a acrescentar, o trabalho de casa foi bem feito! :)

    ResponderEliminar
  4. Cheguei e senti uma enorme curiosidade....
    Amo a cidade de Évora pela genuinidade e gentileza das suas gentes.
    O templo romano de "Diana", faz-me sonhar e lembrar a mitologia grega onde a deusa Ártemis, é similar como divindade das actividades da caça,arisca e selvagem,empunhando arco,trajando uma túnica bastante curta(mini-saia),mas mtº. ciosa da sua virgindade.
    Há...há, já me diverti...........
    Durmam bem a fim de acordarem felizes.
    BeijóKas.

    ResponderEliminar
  5. Já fui muito feliz em Évora! :-) A cidade da minha mãe,onde passava uma grande parte das minhas férias com a "primalhada" toda.... Ai, que saudades do meu querido mês de Agosto!

    ResponderEliminar
  6. Essa frase sempre me arrepiou: "Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos".
    Diz tudo.

    Ps- Isto no Myguide vale ouro, já te disse :)

    ResponderEliminar
  7. Gosto de Évora,mas não é dos meus sítios favoritos no Alentejo. Mas não me esqueço da maravilhosa sopa de Tomate no restaurante "Adega do Alentejano".

    ResponderEliminar
  8. Só fui uma vez a Évora e foi para ir a um casamento.
    A única coisa que conheci foi a Igreja e o Padre que falava em tatuagens e veados (?) (bem, deve ter falado mais, mas eu gosto tanto de missas que só consegui ouvir isso.)

    ResponderEliminar
  9. @Imaginação, é um bom desafio. Haja €uro!

    @Valdemar, tu queres é emborcar umas imperiais!

    @Ca, estiveste quase para aplicar ao senhor do €1 o golpe do corridinho, aposto.

    @vi me grega K, eu é que me vi grego a imaginar essa Deusa em mini-saia.

    @Alexandra, a Grande, oi? Sem escrever de forma imbecil, é isso?

    @Maria, nice. E onde é que falhei? Onde deveria ter ido e não fui?

    @trollofthenorth, grande, grande frase...
    PS: obrigado, a ideia não foi descartada :)

    @Rainha ST, não estive nesse restaurante, mas no Alentejo, tal como no resto do País, come-se muito bem. E eu comi muito bem.

    @Cláudia, uma semana de castigo. Nós, no Simão, Escuta, rezámos todas as manhãs e fizemos formatura. E ainda vamos à missa, no Estádio da Luz.

    ResponderEliminar
  10. A Capela dos ossos é cre-eeee-py.
    E tinham todos cabecinhas tão pequeninas. I wonder whhyyy.

    ResponderEliminar
  11. A capela dos ossos é diferente, quando lá fui também foi algo estranho..mas foi quando eu era pequena, portanto não me lembro se podia tirar fotos ou não.

    Concordo que o Templo deveria ter informação para o turista ler.

    Então mas afinal o templo não é meu? :p

    http://caboverdecontacta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Sou de Évora e infelizmente algumas das situações descritas são verdade..no entanto, garanto, que há muito mais para ver em Evora. E sitios mais interessantes para ficar hospedado.
    Devo dizer que as pequenas igrejas espalhadas pela cidade tem pormenores encantadores, o alto de S. Bento tem uma vista priveligiada da cidade.
    A próxima vez que forem a Évora aconselho a verem uma peça de Marionetes na "Casa dos Bonecos" são verdadeiras sátiras à nossa sociedade, podem assistir a vários concertos de bandas locais na Sociedade HArmonia Eborense (situada na praça do Geraldo).
    O museu da cidade e a biblioteca são também locais a visitar :).
    Deixo algumas ideias para uma próxima visita.

    ResponderEliminar
  13. @Rosa Cueca, facto, as cabeças eram pequenas. I don't want to know why.

    @Diana, o Templo não é teu, nem o Templo nem o resto. É tudo uma farsa!

    @ana, obrigado pela partilha, devia ter sido você a escrever o artigo :)

    ResponderEliminar
  14. POC sugiro que faça um post parecido com este, mas agora sobre Lisboa, dava jeito =)

    ResponderEliminar
  15. @RS, já sei, já sei que dava jeito :) Desafio aceite, mas impossível para tão breve quanto isso. Mas se precisarem de dicas, estejam à vontade.

    ResponderEliminar
  16. O senhor Simão parece que só sabe criticar. Talvez gostasse que eu fosse ao seu bairro criticar também. Vivi toda a minha infância em Évora e vivo em Lisboa há 6 anos. Prefiro de longe Évora sem sequer precisar de pensar sobre o assunto.

    É uma cidade muito bonita e pacata, onde se pode desanuviar do stress que se vive em Lisboa, que apesar disso também é uma cidade muito bonita e agradável.

    Talvez se lá fosse mais vezes não criticava tanto. Aprenda a ver as coisas de um lado positivo.

    Boa tarde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Évora. Cidade de estudantes, mas não só. Cidade bonita, pequena e de gente simpática. Cidade com uma réstia romana bem conhecida."

      E pelo primeiro parágrafo, cai essa teoria.

      Eliminar