"Ligaste-me?!"

Faço uma chamada e não me atendem do outro lado. Passado algum tempo, recebo uma chamada de volta e dizem-me com ar exclamado "Ligaste-me?".
Ao que respondo: "Não, dei-te um toque."

A sério que existe uma opção que não seja a de fazer uma chamada?

Isto leva-me para a minha época de faculdade, há 30 anos atrás. Na altura os tempos também eram outros, não existiam tantos tarifários, e o iPhone não era mais do que um vazio no escuro (pena, os tempos mudam). 
Estávamos no ano 2000, e era moda vermos uns e outros a darem "toques" para o telemóvel:

"Ai amorzinho, gosto tanto de ti, toma um toque, não é uma chamada, não atendas, porque é só um toque de amor";
"Oh fofura, és linda, mais linda que tu não há, adoro a tua suavidade quando chegas perto e pareces um elefantezinho a correr junto com uma manada, mas não atendas, é só um toque".
E se atendessem e fizessem o amor da vida gastar dinheiro, provavelmente haveria discussão para dois meses.

E também havia a versão do amigo rico que dava toques para lhe ligarmos de volta, porque nunca tinha saldo no telemóvel. À primeira um tipo cai, à segunda também. À terceira está a mandá-lo fazer amor com um bode, e à quarta...bom, já não existe quarta. Queiram substituir a palavra "um tipo" por "um POC".


A sério que ainda há quem dê toques? 


Falo agora com a franja dos leitores que estão naquela idade em que se define o "toque": não enveredem por este caminho. E usem preservativo.

17 comentários:

  1. Andaste na faculdade há 30 anos? Bem velho és tu.

    Só se dá toques quando se sabe o número das pessoas, quando não se sabe, não se dá nada.

    ResponderEliminar
  2. Os toques servem para muita coisa caro POC, em que nenhuma é algo mencionado nesse post.

    ResponderEliminar
  3. Penso que tem a ver com a idade que tinhas na altura e portanto ainda se mantém pra quem tem essa idade. É como o "meter só a cabecinha" ou o "só beber um copo"...

    ResponderEliminar
  4. Eu ja tive uma tentativa de engate desse genero, há malta que dá toques e envia sms a estranhos a ver se pega. Uma pessoa na inocencia pensa e diz que é engano e apartir dai começam a inundar-te o telemovel com mensagem axsim , dd teclas? como é que te chamas? tens face ? qtos anxos tens? bla bla bla.

    true history

    ResponderEliminar
  5. 2w, isso é assustador.
    Bem, eu quando me enviam sms de números desconhecidos, por norma, não respondo. Acho que só respondi uma vez e nunca me aconteceu tal - lucky me.

    ResponderEliminar
  6. A sério que iniciaste duas frases com "a sério"?!

    Já ninguém dá toques, tal como já ninguém "mete só a cabecinha". Os toques foram substituídos por um grande número de sms, tal como o resto foi substituído por "tudo à grande".

    ResponderEliminar
  7. URS, ahaha.

    Afinal estamos perante uma velhacas de 50 anos, o photoshop é o melhor amigo do homem.
    Escusavas de ter mentido, a humildade fica sempre bem.

    Eu nem saldo para toques tinha a maior parte das vezes...

    ResponderEliminar
  8. Eu queria dizer story , não history.
    Não me parece que esse episodio fique para a historia, mas aconteceu mesmo.

    ResponderEliminar
  9. Ainda passei pela era dos toques. Acho que dei muitos toques (e a ti também devo ter dado), uma vez que os tempos eram outros e os tarifários deviam ser puxados. Era uma forma fofinha de se dizer: Ei, estou a pensar em ti. Ou então uma espécie de forma de engate prévia ao FB "o fulano x deu-me um toque. Que dia memorável" :p
    Era tudo simples na altura, hoje é só ridículo (ainda bem que certas coisas mudam).
    Em relação ao amigo rico... eh eh ;) sei bem do que estás a falar. Sacana de um raio. Ainda hoje o deve ser. Há coisas/pessoas que, simplesmente, nunca vão mudar.

    ResponderEliminar
  10. @Uma Rapariga Simples, fizeste-me lembrar uma história bonita, de quando éramos teenagers inconSSientes e tentávamos números ao calhas. Mas para ligar.

    @nAnonima, :)

    @Não têm nada a ver com o meu nome!, os toques, quanto muito, servem para dizer "já cheguei, desce camelo".

    @Aquele Gajo, o caro leitor tem um bocado a mania, e para isso já cá estou eu. Aposto que o caro leitor ainda dá toques às amigas.

    @2w, não consigo ler quando existem paalvras axsim no texto.

    ResponderEliminar
  11. @Não têm nada a ver com o meu nome!, o nick vai ficar mais curto ou não?

    @xavi, estou cansado de explicar que não é Xavi, é Javi, o nome dele é Javi.

    @Sufocada, isso foi um assumir de toques à descarada? Shame on you.

    @2w, a partir do momento em que chega ao tasco, entra na história.

    @Marilyn, tu sabes que eu sei que tu sabes do que estou a falar. E vice-versa.

    ResponderEliminar
  12. Tu estás é chateado por não ter sido um toque retal, como querias e estás habituado...

    ResponderEliminar
  13. @Aquele Gajo, este é um tasco de gente ordinária, mas não tanto. A moderação está aí. E uma rabeta no FIFA também...

    ResponderEliminar

  14. "HÁ 30 anos ATRÁS"?

    Há "há 30 à frente"?

    Daqui a 30 anos à frente?

    ResponderEliminar
  15. Isso lembra-me uma história igualmente bonita, de um igualmente teenager inconciente que no outro dia me mandou uma sms a horas demasiado matinais, cheia de erros ortográficos e odiosas abreviaturas, só porque estava a tentar números e queria conhecer os donos dos mesmos.

    Lá lhe disse que já era entrada na idade, logo, sem qualquer relevância sentimentalósexual para ele.

    Desistiu. E fez muito bem que aquilo não eram horas de melgar pessoas decentes.

    ResponderEliminar
  16. @Eu e o @Aquele Gajo e outro amigo já fizemos parecido. Mas à procura duma miúda. Só sabíamos que o número começava por 9.

    Uma história bonita. Ambas aliás.

    ResponderEliminar