Pessoas que dizem que o exame correu mal, mas que afinal...

Estamos perante um dos maiores flagelos da sociedade. Já lá vamos.

Desde pequenos, na escola secundária, ou quando teenagers inconscientes na faculdade, temos sempre alguns colegas que, aquando dos testes, saem da sala e dizem  "correu muito mal, não sei se vou passar". 
De cara franzida e ansiedade a rodos, temem pela nota que vão ter. Dias mais tarde, alguns desses têm negativa ou safam-se por pouco. Outros têm 17. E é sobre estes alunos irritantes que nos vamos debruçar. E se forem alunas e tiverem uma copa C, debruçamo-nos com vigor.

Mas este fenómeno tem tendência a ser efectivamente mais evidente nas mulheres. 
E sim, eu sei que é bom esforçarmo-nos para termos boas notas, mas haja respeito. 

Um tipo chega à formatura e pergunta "qual é o assunto do teste de Português, qual é a obra?" e vai lá para dentro improvisar. Se passar, é o maior. Mas é normal que, atendendo à circunstância, tenha dúvidas sobre se vai conseguir ou não. É normal sair preocupado e ansioso. Mas e quem se preocupa com o que sente esse aluno ao ver uma qualquer Maria desta vida a procurar consolo nas amigas porque o teste lhe correu muito mal e depois tem um 17?

Mulheres ansiosas pela nota do exame de Direito

Aposto que alguns dos nossos leitores já fizeram esse filme. E gostam. E por isso vai sair um processo sumaríssimo contra desconhecidos.

Haja respeito! Se correu bem, diga-se que correu bem! Sem vergonhas! E se um 17 não é suficiente para aquilo que estudaram, então não façam choradinho como se fossem reprovar, mostrem apenas que estudaram para mais (e isso é muito legítimo)!


Simão Escuta: contra estudantes armados em cagões!

11 comentários:

  1. Simão, acabaste de falar sobre um dos problemas que mais assombra a minha vida. Cada vez que me deparo (e deparo-me muito) com cenas dessas, começo a imaginar a minha mão, depois uma faca, e depois a minha mão e a faca no pescoço deles.

    ResponderEliminar
  2. @Kim III, folgo em saber que fui reconhecido no pensamento. Espalhe a mensagem!

    ResponderEliminar
  3. Estou com a Kimm III. Tenho ódio a esta gentinha! Não me esqueço, quão naive fui num dos primeiros exames que fiz, em que eu não estudei NADA e uma pessoinha dizia-me feita parvalhona que também não, que não ia passar blá blá blá e eu tão contentinha por não ser a única (parva!) . Resultado:eu não passei, óbvio, e esta pessoinha não só passou como teve uma nota bem razoável...

    ResponderEliminar
  4. Cá pra mim era fazermos aqui um movimento ao estilo "Polar postcrossing" para enviarmos uma faquinha a cada um desses espécimes pelo Natal!

    ResponderEliminar
  5. As rapariguitas lá em cima,não terão frio?É melhor tapar....

    ResponderEliminar
  6. é pá, desculpa lá POC, o blá, blá ainda é como o outro, olho na diagonal como o Marcelo (professor cagão), agora as gajas??? onde foste buscar as gajas??? tem dó... ninguem merece fotos de 3ª categoria!!!

    ResponderEliminar
  7. As meninas não estão com ar de quem está com más notas, muito pelo contrário, espera-nas altas!! :)
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Essa gentinha sempre me enervou. Até a faculdade eu sempre soube se iria ter à volta de 18 ou à volta de 19! Na faculdade já era mais complicado mas sabia se ia passar com nota razoável ou passar com nota merdosa.

    Mais irritante ainda eram aqueles que choravam porque tinham tirado 17 e estavam à espera de 18. E na faculdade nunca percebi o porquê de fazer melhoria de nota depois de tirar um 17.

    ResponderEliminar
  9. Era apanhar o tipo que teve o desplante de publicar uma foto destas a acompanhar um texto sobre exames!

    E era apanhar também quem diz que correu mal só porque lhe vai ser descontada uma décima numa das respostas!

    ResponderEliminar