Double-O-Seven e a queda do céu


Ontem fui com o Coronel a ver o Double-O-Seven.
Utilizei a aplicação da “m. Ticket” da Vodafone/ZON (disponível em iOS e Android) para comprar os bilhetes e correu bastante bem. É simples e eficaz, e consegui comprar com desconto ZON. Depois, é só abrir a mensagem recebida e “mostrá-la” a uma máquina que lê o bilhete. E é seguir e passar as filas. Recomendo.

Voltando ao Bond, James Bond, classifico-o como um Regresso ao Futuro. Não aprofundo mais este comentário por razões óbvias. O filme está nice. Bom início, sempre a esgalhar. Mas ficou-me um sabor agridoce na boca, faltou qualquer coisa que não sei bem explicar. Talvez se eu pudesse exprimir-me a dançar em vez de escrever, vocês me percebessem melhor.


De qualquer forma, não deixa de ser um bom filme de entretenimento e de mais um bom capítulo da saga. Não o melhor, mas com alguns dados interessantes para o futuro. E Daniel Craig é um bom Bond. Para tempos modernos, parece-me excelente.

Quem ainda não viu o filme não pode saber que vai aparecer a irmã gémea do 007 e que afinal ela é vilã e acaba por emigrar para o Belize em troca de tremoços para a eternidade. E que os bons vão ganhar no final do filme.

E podem sempre ver a Berenice Marlohe.

14 comentários:

  1. Eu não gosto do 007 que o Craig tem feito. Mas fui ver e gostei do 'back to basics' que o filme deixou no ar e da performance do actual 007.

    Saí com a mesma sensação que tive no último Star Wars, no episódio 3 quando todos queríamos ver como aparecia o Darth Vader. Finalmente o gajo aparece e...acaba o filme!

    O coisa é certa: pelo menos irei ver o próximo, de certeza!

    ResponderEliminar
  2. @Shadows, essa foi a parte boa, deixou curiosidade para o que se segue. Ou pelo menos revelou mudanças.

    ResponderEliminar
  3. Sean Connery é o 007.

    O resto são vodkas-martinis mexidos.

    ResponderEliminar
  4. @Señor B, verdade absoluta. Dos tempos modernos, este é o melhor. Parece-me melhor que o Pierce.

    ResponderEliminar
  5. Eu voto em esta adega,ou bodega como preferires,cumprir com as suas promessas e apresentar as gajas nuas em cima dos anões,ou vice-versa.

    ResponderEliminar
  6. @Tomé Silva, agora fui apanhado. Tenho que reactivar essa rubrica.

    ResponderEliminar
  7. Não gosto do Bond...mas o Craig tem um corpaço do catano....

    ResponderEliminar
  8. Não vi este Bond. Nem o anterior. Duas faltas a colmatar rapidamente. porque o Craig merece :)

    ResponderEliminar
  9. Meus amigos fui ver e vim de lá chateado, sim sr, chateado! Eh pá eu sou de um tempo em que os maus da fita eram feios, cheios de cicatrizes, com olho de vidro. Um tipo só de olhar para eles enterrava-se nas cadeiras do cinema e quando finalmente ele morria um gajo aplaudia como um golo do Benfica. Depois, sempre vi todos os 007 a partir corações femininos por toda a esquina que se cruzava. E agora, que temos nós? Um mau da fita mariconço, barbinha feita, cabelo oxigenado, que faz a plateia rir?... e o Bond? Não é que agora o Bond também faz o vilão perder-se de amores por ele?? Isto assim não! Protesto. Estou a imaginar de volta a 1962, o Bond Sean Connery sentado com o mafioso a abrir-lhe a camisa e acariciar-lhe o peito... Naaaa! Isto não bate certo.

    ResponderEliminar
  10. Gosto de Craig como Bond. Ainda não vi este filme mas gostei dos anteriores...gostei de o tornarem mais real. Aquela treta de ele andar à porrada com 10 gajos, saltar e cair 158 vezes, levar 44 tiros e nem desmanchar o fato irritava-me bastante.

    ResponderEliminar
  11. Não gosto do Daniel Craig como Bond e enquanto ele fizer tal papel recuso-me a ver mais filmes! O Bond não é ucraniano por amor de Deus!!!!!

    ResponderEliminar