Faculdade Engenharia UCP pelo cano


É num misto de tristeza e regozijo que recebo esta notícia.

Uma faculdade com trimestres, ideia genial, onde depois o Ensino em Portugal não reconhece as disciplinas feitas porque não tinham carga horária suficiente, só podia ir mesmo pelo cano.
Uma faculdade que tinha tudo para ser de eleição, com a chancela da Universidade Católica Portuguesa, não passou duma ilusão.

Não era preciso ser visionário para perceber que seria este o destino da FEUCP.
I told you…


14 comentários:

  1. Ainda bem que fechou e deveriam fechar muito mais privadas de Engenharia! Apenas andam a formar pessoas que não dignificam o nome da profissão e para todos os efeitos ficam o título de "Engenheiros" e querem ser tratados por outros Engenheiros como iguais! Para mim esse tipo de Engenheiros nunca vão ser colegas, vão ser sempre os "Engenheiros que vieram da Privada"!

    ResponderEliminar
  2. Queriam ser engenheiros? Estudassem. :)

    ResponderEliminar
  3. Sou estudante de Engenharia da Universidade Católica Portuguesa e devo dizer que estes dois comentários aqui publicados não têm qualquer sentido. Tenho pena, de já não conseguir convidar ambos os comentadores a visitar a Faculdade de Engenharia da UCP, tenho pena que não possam já conhecer o fantástico grupo de Professores que temos, os conteúdos leccionados, o trabalho de Investigação.... Posso dizer, que o percurso no Curso de Engenharia na UCP é difícil, porque os professores são exigentes, esperam de nós o melhor e queiram acreditar ou não, alunos e professores não se escondem atrás um Ensino só porque é Privado, não temos aprovações nas disciplinas, simplesmente porque pagamos uma mensalidade mais alta que os outros.O ensino ali é tão bom quanto o Técnico ou outra Universidade de renome neste País, tanto que após o período de avaliação concluído pela Ordem dos Engenheiros, somos/fomos das poucas Faculdades a ter aprovação pela mesma. O Sr. Margas deveria sim, revoltar-se contra o ensino de Engenharias nos Politécnicos espalhados por este País, cursos que não têm matemática/física no seu percurso, professores que não têm qualificação para dar aulas, alunos que saem sem bases, sem ética e que acabam por passar á frente de quem realmente estuda Engenharia.Quanto ao Anónimo, fique a saber que estudamos e estudamos muito. Fique também a saber, que a FEUCP não vai fechar porque os alunos não estudam, vai fechar porque infelizmente fomos vítimas de uma má gestão do espaço, o que nos levou a ser um cancro dentro da UCP. Como deve saber o FEUCP não se encontra em Palma de Cima e sim é um Campus deslocado, com acessos precários, e que como não forneceu fortunas aos senhores que governam a instituição decidiram fechar a faculdade. Devo também dizer-lhe, que no momento em que soubemos da notícia, estávamos e estamos em plena época de exames e a notícia chegou-nos por e-mail. Caiu que nem uma bomba no meio de alunos, funcionário e docentes. É uma pena não estarem lá no momento em que todos foram informados, de uma maneira covarde, ali além de futuro dos alunos, estão vidas em jogo, pessoas com família, com contas para pagar, alunos que investiram ali o eu futuro, professores que também perderam os seus postos de trabalho.

    Por isso senhores comentadores, podemos ter que abandonar aquele espaço, mas continuamos a confiar nos professores que ali estão e no ensino que nos foi proporcionado. Sim estudamos muito e sim somos ENGENHEIROS!

    ResponderEliminar
  4. Margas nao sei onde tirou o seu curso de engenharia mas quero lhe dizer que nao tem ideia nenhuma do prestigio da Universidade Catolica. Se considera a Universidade Catolica uma privada de ma qualidade deixo-lhe este link: http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=608414&tm=8&layout=122&visual=61

    E mais nao vou dizer...

    ResponderEliminar
  5. 'O Sr. Margas deveria sim, revoltar-se contra o ensino de Engenharias nos Politécnicos espalhados por este País, cursos que não têm matemática/física no seu percurso, professores que não têm qualificação para dar aulas, alunos que saem sem bases, sem ética e que acabam por passar á frente de quem realmente estuda Engenharia'

    Caro T.C., aposto que se tivesse lido uns livros no secundário teria todo o gosto em estar num desses politecnicos em vez de andar a gastar rios de dinheiro aos papás. Felicidades.

    ResponderEliminar
  6. Simpático Anónimo, acredito que deve ter lido imensos livros ao longo da sua vida e infelizmente para si, não deve ter tido pais que o apoiassem a seguir o melhor rumo para o seu futuro, é uma pena não conseguir perceber o que é um ensino de excelência...mas todos nós, temos as nossas limitações e a sua é ver dinheiro em vez de vontade de aprender, de ter acesso ao melhor e de ter realmente um futuro. Espero que um dia seja pai, ou mãe e que quando estiver a decidir o futuro do seu filho tenha em conta a possibilidade de lhe dar o melhor, mesmo que para isso tenha que hipotecar a sua vida para que eles sejam felizes.
    Concluindo sobre o que escreveu, deverá informar-se melhor e saberia que qualquer aluno que se candidate para a UCP está sujeito a concurso como se do ensino público se trata-se..ah! Aproveite e veja as médias de acesso, talvez se tivesse o anónimo estudado mais no Secundário teria tido a oportunidade de ir para a UCP. Obrigado

    ResponderEliminar
  7. Confirmo que existem/existiam óptimos professores na FEUCP. E confirmo que o curso era bastante difícil.

    A minha opinião prende-se com a organização e gestão da faculdade.

    ResponderEliminar
  8. "Uma faculdade com trimestres, ideia genial, onde depois o Ensino em Portugal não reconhece as disciplinas feitas porque não tinham carga horária suficiente, só podia ir mesmo pelo cano.
    Uma faculdade que tinha tudo para ser de eleição, com a chancela da Universidade Católica Portuguesa, não passou duma ilusão."

    Estes comentários não têm qualquer suporte na realidade. Quem os fez não se prestou à mínima pesquisa. Bastava ter consultado o site para verificar que os planos curriculares estão organizados em semestres, exceptuando talvez as pós-graduações. Devo ainda deixar presente o valor da Instituição. Subscrevo ao comentário anterior de um indivíduo que, tal como eu, é aluno da FEUCP,uma vez que a qualidade dos professores é inegável. Sugiro que consulte alguns CVs no dito site. Mas com sinceridade, o que mais me custa no ver partir esta Faculdade são os cursos diferenciadores com que se destacava. É verdade que a Engenharia Civil e Mecânica está espalhada por Universidades de todo o país, mas atente, por exemplo, no curso de Engenharia Biomédica, particularmente nos mestrados, e garanto que, de Norte a Sul, não encontra planos curriculares tão interessantes, razão, aliás, de ter escolhido esta Universidade, visto que, por todo o tempo que "não passei a estudar no secundário", terminei esse percurso com uma média que me dava perfeitamente acesso ao Ensino Público. Entristece-me que se fale só por falar, e que haja tantos comentários a denegrir uma instituição que tinha tanto potencial, bem como os seus alunos, que, na sua heterogeneidade, em nada se diferenciam das restantes pessoas do país.

    ResponderEliminar
  9. @Anónimo 20:20, não estará a par das fundações da FEUCP. O que escrevi está correcto. E sei que entretanto tiveram que dar o braço a torcer e adoptar semestres.

    As Engenharias de base, que foram o motivo da criação daquele Pólo Universitário, entraram em decadência pouco depois do início. Os outros cursos apareceram para tentarem salvar o projecto e investimento ali feito. E não resultou.

    Engenharia era bastante difícil. Óptimos professores (e alguns ridículos, mas é assim em todo o lado). Mas falhava no resto.

    A faculdade tinha tudo para ser de eleição. E acabou mesmo em ilusão.

    ResponderEliminar
  10. O curso era realmente muito exigente e alguns professores eram de enorme qualidade. Mas a gestão era péssima, sempre foi. Apostaram num péssimo Director, sem "pulso" para a gestão da universidade e que deixou aquela faculdade morrer. Era um projecto que tinha muito para dar certo e que ainda por cima estava associado ao bom nome da Católica. É uma vergonha nomearem gestores sem qualquer tipo de competência... E é uma vergonha a própria instituição da UCP nunca ter tomado uma atitude no sentido de evitar o que há muito se previa. Idiotas!

    ResponderEliminar
  11. O Anónimo (comentário 26 de Janeiro de 2013 às 22:50) que vá fazer felácios a cavalos e o Sr. Margas que leve na peida do Anónimo que está abaixo dele. Saudações

    ResponderEliminar
  12. Eu estudo numa faculdade privada de engenharias
    Professores que me dão cálculo dão no cálculo no técnico
    De álgebra dão na nova
    Isso de a privada ser mais simples apenas a entrada ,de resto a dificididlsdemé semelhante .

    ResponderEliminar