Jantar de curso em democracia


Ontem, no ISCTE, o ministro Miguel Relvas foi impedido de discursar. Ele que fora convidado pela Universidade.
Um grupo de alunos fez uma manifestação espontânea, democrata e…anárquica.

É verdade que o País está em crise. É verdade que a coisa está preta para muita gente. É verdade que os alunos têm menos apoios. É verdade que Miguel Relvas tem uma licenciatura estranha. É verdade que o FCP ficou marcado e provado como corrupto para sempre. É tudo verdade. Mas a nossa sociedade tem regras.

A perseguição a Relvas faz (algum) sentido, porque o povo não aceita que se tirem licenciaturas assim. Mas…quantos estão, não só no Governo, nas mesmas condições? E mais, não existem personagens da nossa sociedade que, realmente, são responsáveis por termos chegado onde chegámos? Foi o Relvas? Acho que não. Esses outros é que não podem andar de cabeça levantada na rua. Ou não deviam, porque a própria sociedade é que os devia marginalizar, grandessíssimos filhos da puta (e não é estar a gabá-los) que deram golpes de milhões. Ou então penitencio-me já pelo vernáculo utilizado, porque simplesmente desapareceram milhões de euros da face da Terra. É como desaparecer-me a caneta que tinha na secretária. São coisas que acontecem.

Democracia é podermo-nos manifestar. Mas democracia não é impedirmos alguém de falar e de, quem sabe, até tentar explicar-se. Ao impedirmos que os outros também vivam em democracia, então não nos estamos a portar bem.

Deixo-vos com a fotografia do último jantar do curso de Miguel Relvas:


34 comentários:

  1. Concordamos apenas numa frase :

    "Mas a nossa sociedade tem regras."

    O Relva cumpre as regras? Não me parece. Pode exigir que os outros cumpram? Até pode, mas faz pouco sentido. Gabo-lhe a distinta lata.

    ResponderEliminar
  2. Vá, tira lá a antepenúltima frase do segundo parágrafo e o post fica perfeito.
    (xiça para esse mau feitio sempre a vir ao cima, pá!)

    ResponderEliminar
  3. Estamos sincronizados hoje. Acabei de pôr um texto mais ou menos sobre isto. Até parece que a culpa da merda onde estamos metidos,é do actual governo.Longe de mim,defender as medidas que estes tomam,mas será que o Português tem memória curta? Não se lembram das parcerias publico privadas escandalosas de governos anteriores? Dos Estádios do Euro? Das estradas intermináveis com dinheiros da Comunidade? Scuts? Só os projectos dos Hospitais,vão nos custar 8 mil milhões de euros,quase o mesmo dinheiro que o Estado recolheu com as medidas de austeridade até 2012!Milhões mal gasto,que poderiam ter sido usado para produzir competitividade,bens transaccionáveis. Bando de corruptos! Claro que estamos cá nós para pagar a factura. Mas vais ver,o Sócrates ainda há-de concorrer e o povo vai votar nele. Espera para ver.

    ResponderEliminar
  4. faço-lhe uma achega construtiva (como é meu apanágio), já que vim aqui ao coiso, e perdi tempo a ler.

    "Mas democracia não é impedirmos alguém de falar e de, quem sabe, até tentar explicar-se. Ao impedirmos que os outros também vivam em democracia, então não nos estamos a portar bem."

    ora bem, por onde começar? vejamos...

    democracia, o caralho.
    tentar explicar-se, o caralho.

    melhores cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Outra do Salão Neurótico!!!!

    Andas a abusar!!!! :)


    PS: vais amuar?

    ResponderEliminar
  6. A minha ascendência comuna não me permite concordar contigo. (Há quem seja católico por educação, eu tenho que ser de esquerda, desculpa...)
    A democracia não tem nada a ver, nem pode ter a ver com o Relvas ter o desplante de ainda estar no governo.
    Fiquei satisfeita com a manifestação dos estudantes, não sei quem é que se lembrou de o pôr num campo académico, ainda para mais para falar sobre jornalismo (???!!!)

    ResponderEliminar
  7. @CM, o Relvas aproveitou-se da abébia que lhe deram. E chegou ali sem merecer. Mas a questão é que estão a misturar uma pessoa com os problemas do País.

    Não defendo Relvas, antes o critico. E já o fiz aqui.

    @MisS, aceite a provocação como uma real lembrança de si.

    @Mamã de Peep-Toe, touché.

    ResponderEliminar
  8. @Anónimo 17:46, quando alguém fala assim, merece o meu respeito. Democracia/Monarquia, OK, normal. Não deixar um ministro falar, errado. O problema não é o Relvas, concentrem-se.

    @B., o quê?! Diz aí ao tipo da frente que lhe pago mas é uma sandes de torresmos (por mês) para ele trabalhar para mim.
    Não sabia, veio-me parar só a foto, sem nada. Ele tem de proteger isso.

    @xavi, Relvas tornou-se mediático pela gozação original de que foi alvo. Mas não é ele que merece o que se passou. O que se pode dizer de Relvas? Algumas coisas, mas nada como de outras pessoas.
    Relvas estava em representação do Governo. Estava a governar. E o povo tem de respeitar. As eleições assim o ditaram.

    Vão-se manifestar doutra forma. Não se pode manifestar impedindo o decorrer normal das coisas.

    As manifestações que ocorrem são na rua, não são a impedir que algo NORMAL aconteça.

    ResponderEliminar
  9. E para quem não concorda:

    Se eu não concordar com a gestão desportiva do Benfica, vou chamar uns amigos e vamos IMPEDIR que o Benfica dispute um jogo? Fodasse...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devo depreender que achaste mal irem cantar "Grândola Vila Morena" na AR? Perturbaram o normal funcionamento :P

      Eliminar
  10. @xavi, excelente resposta. Achei que foi uma manifestação inteligente e ordeira. A diferença é que, ali, as pessoas já sabiam que se iam retirar logo de seguida, sem problemas, sem manifestações ostensivas...

    Ontem os estudantes não deixaram que as coisas prosseguissem.

    ResponderEliminar
  11. Eu estou concentradíssima.
    Ninguém está a confundir nada. Aquele metro e meio não é confundível com o estado do País, nem terá sido quem tanto para ele contribuiu. Mas daí a achar normal que vá discursar a uma universidade, e que lhe seja dado tempo de antena quando a polémica à volta dele foi a que foi? Vai uma distância enorme. Deviam ter sido tomadas notas e devia ter recebido uma salva de palmas no final? Qualquer aluno que tenha 3 cadeiras feitas à pressa, tem mais legitimidade para discursar do que ele. Se foi convidado, tinha que recusar o convite. Este é daqueles que, ainda por cima, vai cavando a sua própria sepultura.
    E este senhor só lá está ainda, porque não tem um pingo de vergonha na cara. Faz parte do governo eleito. Ok. Mas quanto tempo já teve para pintar a cara de preto e fazer-se à estrada?
    Não sou a favor de violência e até estou do lado da Lei e das regras. Mas isso não me impede de ver que, e é com pena que digo isto e vejo que foi aqui que chegámos, a apatia dos Portugueses em muito tem contribuinte para que se faça o que lhes dá na real gana, sem consequências.
    Se este protesto (e outros tantos), ou o que se lhe quiser chamar, servir para se demitir, um dia, já terá servido para muito. E que sirva de exemplo.

    ResponderEliminar
  12. Concordo contigo na manifestação ordeira, o ideal. Em relação ao milhões que desapareceram gostaria de citar uma das grandes frases de um autor desconhecido "Uns não sabem, outros não se lembram e outros não podem responder" O.C.

    ResponderEliminar
  13. Deixa ver... o Relvas, que é político há um camadão de anos e que tem vivido de expedientes desde que se conhece, tem zero responsabilidades pelo estado a que chegou o Estado... E o povo, que raramente exerce o seu poder democrático de mostrar o seu desagrado, fez mal em apupar e não o deixar falar. E o Relvas, que ameaçou uma jornalista do Público, tem toda a legitimidade para falar sobre o futuro do jornalismo... a rir.

    Deixá-los falar foi o que fizemos nos últimos anos... e é ver onde chegámos.

    ResponderEliminar
  14. @CM, concordo em absoluto com tudo. Mas a questão aqui, onde talvez eu não tenha sido explícito, é que se aproveitam do Relvas, a título pessoal, para protestar contra as medidas do Governo. E aqui no blogue, estamos a debater o Relvas. E sim, ele é um imbecil por não se demitir e por outras coisas. E nisso estamos todos de acordo.

    Quanto ao convite, se acham que é ridículo o Relvas ir lá falar (e concordo!), então manifestem-se, mas contra os Directores do ISCTE!

    @Aeronauta Barata, muito bom :)

    ResponderEliminar
  15. @Anónimo 19:33, não digo que tem zero responsabilidades, mas nós estamos assim porque, principalmente, desapareceram milhões e milhões e milhões. E alguns filhos de trinta cães hão-de tê-los.
    Quanto ao Relvas ir discursar numa faculdade...fina ironia. Culpa do ISCTE. Façam manifestação contra o ISCTE.

    @Toni dos bifes, :)

    ResponderEliminar
  16. concordo que o problema não é o relvas, mas lá que merece as pedradas todas que lhe acertem, merece. e o problema não é a democracia nem a liberdade de expressão, nem o caralho a sete.

    p.s - isto vale para o relvas, não vale para mais ministro nenhum.

    p.p.s. 'ah, mas isso é ad hominem!' ad hominem o caralho. é ad relvas, quando muito.

    ResponderEliminar
  17. o relvas à semelhança do seu chefe são o exemplo do problema do país, gente que sempre viveu nos tachos políticos ou em empresas que aproveitando-se de conhecidos e inside information distribuem dinheiro para quem depois lhes pagará - será que o vocábulo tecnoforma diz alguma coisa ?
    mas também poderíamos usar o vocábulo bpn.
    E sim, tens razão, do outro lado da bancada há uma corja de fdp que são igualmente ou mais responsáveis pelo estado a que chegou o país.
    fdgp que andam a tentar criar uma sociedade de bufos ou a espiolhar onde gasto o meu dinheiro deveriam ser empalados em praça pública não sem antes serem sodomizados pelo mantorras.

    Mais acrescento, impedir um batráquio de coaxar e poluir sonoramente o ambiente, mais que um direito é um imperativo de consciência. Respect !!!

    ResponderEliminar
  18. @Anónimo 22:32, merece, claro. Aliás, o meu artigo termina com mais uma alfinetada (a fotografia).
    Gostei do novo modelo "ad hominem" :)

    ResponderEliminar
  19. @B Cool, volto a dizer que me revejo em todas as críticas a Relvas. Mas porque não se critica o ISCTE pela escolha? E porque não se fez já o mesmo a outros? Muitos deles são escumalha, mas existe uma perseguição ao Relvas que não tem paralelo. E os grandes problemas do País não são O Relvas.

    ResponderEliminar
  20. http://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151750471452818&set=a.10150106412182818.316849.606847817&type=1&ref=nf

    ResponderEliminar
  21. Porque o ISCTE sabe que neste país só amanteigando os políticos é que podem vir a ter esperança de não lhes darem um corte muito grande.

    Porque achas que existem tantos doutoramentos honoris causa para gajos que mereciam um verdadeiro balde de merda pelos cornos abaixo ?

    O Relvas é o exemplo daquilo que são os problemas do país, um bando de políticos corruptos que defende uma classe que vive no fausto há muitos anos, que legisla sempre em favor dos mesmos - bancos, seguradoras, telecoms, etc, porque sabe que quando sair de lá irá comer dessa gamela que andou a ajudar a encher, e que legisla sempre contra quem pouco ou nada pode e tem que aguentar, aguentar.

    Pior que isso, é um batráquio nojento que não tem vergonha na cara e deveria ter, deveria pedir para sair e ir cagar para estrada para o fim do mundo.

    ResponderEliminar
  22. @B Cool, ahah, linda aquela frase! Já está no Facenice do tasco.
    O Relvas é um exemplo da trampa de país que temos, certo. Mas espero que a minha ideia tenha também passado.

    ResponderEliminar
  23. Que tipo de universidade é que convida um tipo que é alvo de chacota exactamente por causa da sua "carreira" académica para discursar? É como se o Benfica convidasse o Proencinha para um seminário sobre ética na arbitragem...

    ResponderEliminar
  24. Por favor... antes de virarem os canhões contra o ISCTE... o convite não foi do ISCTE. A conferência não era do ISCTE, era da TVI, realizada circunstancialmente do ISCTE... e, já agora, fina ironia é o facto de se pôr o Relvas a falar do futuro do jornalismo.

    Anónimo das 19.33

    ResponderEliminar
  25. Penso que os estudantes deviam ter permitido que o Relvas terminasse (ou começasse?) a palestra e depois sim iniciavam a manifestação.

    Manifestação, salvo seja, que aquilo pareceu-me mais uma confusão do que propriamente uma manifestação. É importante não sucumbir a sentimentalismos e histerias colectivas. Há que manter a cabeça nos ombros, especialmente os jovens, que são os que tem mais perspectivas de futuro.

    Devemos sempre ter em mente uma certa razoabilidade, e perceber que por muito que não se concorde com determinadas acções governamentais, a verdade é que muitos deles acabam por herdar muitos problemas passados que não se resolvem do dia para a noite.

    Isto faz parte de viver em democracia. Aprender a fazer oposição de uma forma constructiva e acima de tudo esclarecida.

    ResponderEliminar
  26. @poc : "O Relvas é um exemplo da trampa de país que temos, certo ? " Errado, quando muito o Relvas é o exemplo do estado do nosso governo e a imagem dos nossos governantes, representa ainda um manancial de sinónimos entres eles o "xiqo espertismo" .
    Já agora,...parece que todos os actos que envolvem governantes e reacções públicas mais ou menos dentro dos cânones democráticos, suscitam verdadeiras discussões de ética por parte de todos, pois eu proponho que essas discussões sejam viradas para o exercício governativo e a ética para a moral dos governantes.

    ResponderEliminar
  27. Relvas é uma vergonha para este governo e para o nosso País, um espertalhão que nunca deveria ter sido escolhido até porque dificulta o trabalho dos outros, daqueles que estão lá efectivamente para governar. Dito isto, o que se passou foi uma vergonha. Relvas não cometeu qualquer ilegalidade (existe uma lei que lhe permite ter equivalências) e por outro lado, não deixar os outros falar é um comportamento anti-democrático. Não gostam, vão fazer outra coisa ou ouvir outra pessoa noutro lado qualquer. Não deixar as pessoas falar é um comportamento vergonhoso para quem está em democracia.

    ResponderEliminar
  28. @nemsabesnoquetemetes, o Proencinha... Estiveste muito bem.

    @Anónimo 19:33, verdade, seja então a TVI a crucifcada.

    @Francisco, bem-vindo, não diria melhor.

    @indeepp, bem-vindo. Relembro que também sou crítico do que fizeram ao País, mas não se podem calar as pessoas.

    @Pulha Garcia, muito bem.

    ResponderEliminar
  29. O relvas tirou o curso de forma legal, pois havia uma lei que na altura o permitiu fazer isso.
    O que se pode discutir ( e com muita razão )é a moralidade dessa lei.

    Faz-me mais confusão que não reclamem sobre os legisladores que fazem leis de merda e injustas que duram pares de anos, em vez de atacar os que se aproveitam da existencia das mesmas.


    Não concordo de forma alguma que tenham existido leis que permitissem equivalencias manhosas, assim como não concordo que tenhamos deixado passar de forma inocua politicos que se intitulam de engenheiros sem terem ido ás aulas , com diplomas feitos ao domingo.
    Acho que independentemente do partido politico, os politicos são o reflexo da sociedade que temos, quer queiramos ou não, eles são o reflexo de nós, não são uma entidade que caiu do nada.
    E isso é que custa engolir.

    ResponderEliminar
  30. @2w, "quer queiramos ou não, eles são o reflexo de nós, não são uma entidade que caiu do nada.". Perfeito.

    @Nuno, ;)

    ResponderEliminar