Maria, queres ser feliz? Faz um filme porno (estudo científico)

O Simão Escuta não foi ouvido neste estudo, mas podia. O resultado era o mesmo.

Uma sinergia entre universidades americanas e a Fundação de Assistência Médica à Indústria Adulta, deu origem a este belo estudo acerca da realização pessoal das actrizes pornográficas versus as outras mulheres.


Os pesquisadores compararam 177 actrizes de filmes de adultos a outras mulheres fora da indústria pornográfica, que tinham a mesma idade (de 18 a 50 anos), status de relacionamento e pertenciam às mesmas etnias. Entrevistaram-nas para recolher informações sobre comportamento sexual, autoestima, qualidade de vida e uso de drogas. As actrizes voluntárias trabalharam, em média, três anos e meio com pornografia.

E elas parecem ter uma vida mais feliz do que as “mulheres comuns”. Segundo a pesquisa, as atrizes pornográficas têm melhor autoestima, gostam muito mais do próprio corpo, têm níveis mais altos de espiritualidade, maior satisfação sexual e melhor qualidade de vida (dormem melhor e têm mais energia).

As actrizes fazem sexo, em média, com 74 homens (e preferem que eles tenham uma experiência mínima de 21 mulheres), enquanto as outras mulheres têm 5 homens na vida (e esperam que tenham tido pelo menos 3 mulheres). E elas divertem-se mais com sexo: 69% das actrizes dizem gostar muito da vida sexual, enquanto apenas 32,8% das mulheres comuns dizem o mesmo.

Mas nem todas as estatísticas são assim tão favoráveis às actrizes. Elas realmente usam mesmo mais drogas e têm mais problemas com alcoolismo. E eu pergunto? E então? Se a película for boa...

11 comentários:

  1. Lá está. Tudo por um bom argumento que valorize a mulher. E isso faz sempre um bom filme.

    ResponderEliminar
  2. ó Poc, deixa-me clarificar...Elas não são felizes porque são actrizes porno. Elas são felizes porque têm sexo com homens experientes...

    ResponderEliminar
  3. Arrisco dizer que a felicidade (ou a sensação de ) talvez se deva em grande parte às drogas; já o dormir melhor é natural; tanto tempo a dar ao coco há-de ser coisinha para cansar uma pessoa, não?

    ResponderEliminar
  4. Porque não mandas a tua mulher, filha, irmã, sobrinha, tia, prima, etc. se "pornoficar"?

    ResponderEliminar
  5. É pá não....era muito chato a PiPOCa anos mais tarde,dar com um filme pornográfico dos pais na net....;)

    ResponderEliminar
  6. o simão é um sonso do caralho mas tu sim, és um filho da puta, nem preciso referir o teu QI .I.

    ResponderEliminar
  7. Sempre percebi que o segredo para o sucesso passava por abrir as pernas a muitos homens. Andei a fazer tudo errado até agora,que droga...por isso é que não sou bem sucedida : (

    Sá Leão se estiveres a ler isto, manda um email para moi, prometo que sei fazer a espargata.

    ResponderEliminar
  8. poc

    desculpa lá, podes apagar a minha mensagem? tenho medo que algum esquisito digital finja que não perceba que é uma piada e me comece a mandar emails.

    desculpa

    ResponderEliminar
  9. @2w, assim o imbecil mental vai perceber, certo? Ou é para apagar isto? O comentário está nice!

    ResponderEliminar
  10. È perfeitamente lógica a conclusão do estudo.

    As actrizes (a bem ou a mal) perdem os tabus e as barreiras psicológicas que muitas mulheres têm, logo ficam livres para viver o que a vida tem de bom sem complexos.

    Alguém que faz o que faz nos filmes porno, na intimidade fará ainda mais e melhor pq fará com gosto.

    ResponderEliminar
  11. Bem...tenho minhas dúvidas. Sabem como se faz um filme pornô? Não fiz nenhum, mas já vi algumas atrizes falarem (antes que pense alguma coisa :P). Os atores tem de mudar de posição quando o diretor quer, fazer mais caras e bocas, forçar os gemidos... fora que tem um monte de gente controlando luz, som, e sei o que mais. Não me parece que seja assim tão libertador, a menos que estejam falando de pornôs caseiros.

    ResponderEliminar