Optimus Alive - a crítica (imparcial) que importa

Notas rápidas:

- os maduros pendurados na entrada do recinto a tocar, parecem enjaulados que estão ali em exposição;
- o recinto é porreiro;
- a percentagem de homens que lava as mãos depois de aliviar a cerveja é de 1.24%. São esses que depois vos dão um aperto de mão e estão muito divertidos. Cambada de porcos;
- o som é bom;
- estrangeiros para cacete;
- colocar o "último" concerto (o cabeça de cartaz) para as 23 horas dum domingo, é coisa de imbecil. Tal como ter jogos de futebol a começar na Luz às 21:30 de domingo;
- Legendary Tiger Man é bom;
- ouvir Smokers outside hospital doors (The Editors) ao vivo é do camano;
- Two Door Cinema Club era o que esperava, tudo a mesma onda, mas...boa onda. E eu gosto mesmo ali de duas ou três.

Análise aos 3 cabeças de cartaz:

Green Day - grande concerto, estavam com pica, estavam com vontade, divertiram-se em palco. E isso passa para fora. Grande interacção com o público. Momento épico quando chamam um qualquer Manuel ao palco para tocar com eles.

Depeche Mode - A enchente. Os meus preferidos, deram (mais uma vez) um concerto sem chama, sem interacção, sem garra. A música e o som é que são fantásticos, e um tipo gosta sempre e tal. Só não é estar a ouvir o CD porque ao vivo a música é diferente. A ideia que tenho é que parece just another day at the office. E é. Mas eles têm obrigação que o público não perceba. 

Kings of Leon - a banda das pitas. Conhecia uma ou outra. Talvez três ou quatro. Estão praticamente a tocar o CD, não há interacção nenhuma, são fraquinhos no palco, todos parados...o tempo todo. A sonoridade é bastante boa, as músicas ficam no ouvido, toda a gente as sabe. Banda que se ouve bem, fazem um bom trabalho, mas falham ao vivo. OK, afinal não são só banda de pitas, agora já os "respeito". Mas Sex on fire não é, definitivamente, a melhor música deles, apesar de ser a loucura na plateia. A sério, tocaram músicas que dão 15-0. Se o nome não fosse assim, se o refrão não fosse com "sexo"...não era isto tudo.

Melhor banda ao vivo: Green Day (sem discussão ó cambada de tonhós)

Particularidades dum festival e dum Autor:

Pessoas que estão enjauladas o ano todo, não conhecem outros seres vivos e são largados assim no meio dum festival...é mau. Um trintão (ou trintinha, como eu), já não tem muita paciência para aquela loucura parva e histérica só porque sim. Que tanto faz estarem os Depeche Mode em palco como o Zé Cabra, só guincham sem saberem o que está a acontecer, só porque "é fixe" e porque sou "muita maluco";

Ter miúdas que não me conhecem de lado nenhum, a pedirem-me para as colocar às cavalitas é fixe. Mas como não eram frequentadoras do tasco (inexplicavelmente), não tiveram direito a subir;

Foi o meu primeiro festival por inteiro. Provavelmente, a não repetir. Foi-me oferecido e gostei, mas não pagava este dinheiro para isto. Continuo a preferir ter ido ao antigo Super Bock Super Rock.
Festivais e coiso não são para mim. Ir a concertos isolados, sim.

Adenda:

Ontem quando saí de mota, a passar entre os carros parados num semáforo, vi o Anónimo a gregoriar-se no carro da amiga, cabeça de fora, pendurada na janela...e todo um cenário dantesco. Sorri e lembrei-me do Aquele Gajo, quando vinhamos do News e ele fez o mesmo em plena A5. Acabei a dar uma mangueirada no carro com o Zé Tó, para não estragar a pintura e para os pais do Aquele Gajo não toparem nada de manhã. Éramos putos. 

15 comentários:

  1. ehehehehehehhh! (bem te vi lá, a bater coro às pitas :b)

    ResponderEliminar
  2. Acho que o queres dizer que o que irrita nestes festivais é a carneirada que vai toda atrás so porque sim, porque é cool!

    ResponderEliminar
  3. Não está certo, eu sou obrigada a voltar e ainda levo com isto...
    Vou fazer, pelo menos, uma semana de greve, sem vir aqui...
    :)

    ResponderEliminar
  4. Vejo-me compelida a comentar, mas agora não, que estou de ressaca e a trabalhar.

    ResponderEliminar
  5. O recinto é porreiro? Sou uma pita? Miúdas pediram-te, sabendo todos nós que és anão, para subir para as cavalitas? What the hell...?

    Ps- também não sou miúda de festivais. Não combinam com os meus saltos.

    ResponderEliminar
  6. percebo-te...

    sao os 30's (neste caso, muitos) que nos fazem pensar "been there, done that!!" e um gajo saí dali a pensar que os primeiros é que foram bons e agora é sempre mais do mesmo....

    ResponderEliminar
  7. @nAnonima, não era eu de certeza. Nem o Autor.

    @Zeca, isso.

    @Sufocada, atreva-se.

    @Elsa, bons olhos a vejam! Regresso apoteótico! Quer dizer, só faltou comentar.

    @CM, o PS, TOP.

    @M, touché.

    ResponderEliminar
  8. Eu sou uma miúda de festivais, a bombar desde o século passado.
    Green Day e Depeche Mode foram brutais! Desculpa discordar, mas os velhotes (DM) portaram-se muito bem!
    Kings of Leon, minha nossa, ide morrer bem longe de mim, seca do diabo, desisti à 5a música.
    Pena deixares a tua análise por aqui... Houve coisas tão, mas tão boas para além dos cabeças de cartaz.

    ResponderEliminar
  9. @Snail, é só um apanhado, já foi grande, imagine se falo em detalhe de mais alguns!
    Depeche Mode? É ver o vídeo que acabei de colocar no novo post sobre o festival. E ver as diferenças.

    ResponderEliminar
  10. Ok, nada a argumentar em relação ao vídeo!
    Mas continuo a achar que foste mauzinho na descrição do que se passou no sábado. :)

    ResponderEliminar
  11. eu adoro DM desde que oiço música (coisa estranhissima, sendo fanatico por Metallica, Motorhead e afins...desde que oiço música!!) mas tenho cá para mim, para ter esse tipo de desilusão de achar "que é mais um concerto e tal, day in the office", que terei de me estrear em concerto numa tour deles, não em festival (daí não ter ido).

    ambiente próprio, publico próprio, palco próprio....é assim que percepciona essência de uma banda, nao na molhada dos festivais...

    ps:o estadio do Bessa teria sido fantástico..fiquei tão fodido, de bilhete comprado na mão, que nem consegui comprar para o concerto de compensação...

    ResponderEliminar
  12. Caro Poc, não sei onde estavas a assistir aos Depeche Mode, mas deve ter sido na bancada das grávidas e a coisa passou-te toda ao lado...Depeche foi brutal! Ainda mais porque para ser num festival teve a a qualidade de um concerto em nome próprio. juntou-se imediatamente ao TOP 3 dos melhores concertos que assiti.2 horas em palco! Execelente escolha de reportório, som com qualidade incrível e uma energia que punha os anteriores (e muito mais novos) editors a reboque...Paixão?! sem dúvida que lá estava. mas com uma pitada de maturidade...se calhar era amor...
    valeu a pena esperar para os ver finalmente. :)

    ResponderEliminar
  13. Oh... Kings of Leon é para pitas? As pitas gostam só da Sex on Fire, como bem referiste. Os fãs gostam da Knocked Up, gostam da Closer, gostam da On Call, gostam de música crua e sem ter que ser em forma de balada. E bastava olhar para o público para se perceber que que os verdadeiros fãs eram, isso sim, essencialmente homens. Pelo menos os que rodeavam o sítio em que vi o concerto. ;)

    pippacoco.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. desiludes-me pelos concertos que viste. tanto mas tanto bom concerto que lá houve e tu perdeste tempo a ver kings of leon em vez de ver alt-j?!

    aposto que nem viste crystal fighters ou vampire weekend.. desiludes-me! a tua sorte é seres benfiquista!

    ResponderEliminar
  15. Eu fui o ano passado aos The Cure e também foi um grande concerto! Só n foi óptimo porque eles não falam com o público! A parte boa em relação a este ano é que não levei com pitas porque n havia nenhuma "banda de pitas"!

    ResponderEliminar