Black Friday - vão brincar com a pilinha

Se em Portugal o ridículo é sempre maior, como se nós, portugueses, fossemos mais burros do que aquilo que realmente somos, nos Estados Unidos a coisa não fica muito atrás. Talvez porque eles até sejam mais burros do que nós. Ou talvez não. Mas têm o Justin Bieber e a Miley Cyrus, por isso acho que são mesmo piores (podíamos enviar para lá, na área musical, o Paco Bandeira, podia ser que aviasse estes dois anormais).

O Black Ridículo Friday funciona assim: 

"Vamos enganar o povinho, que até vai fazer fila para nos pagar o mesmo que nos outros dias!"
"Genial, presidente."
"Aumentamos os preços e depois fazemos um desconto brutal, vão pensar que estão a poupar e afinal estão a pagar o nosso preço objectivo desde sempre."
"Genial, presidente. Os aldrabões também vão para o céu, não se preocupe."

OK, não é exactamente assim, mas é quase. Vocês sabem que artigos sem drama não têm lugar aqui. 

Os preços são combinados já a contar com este dia de descontos (e outros). Ou seja, o lucro das empresas com o produto X será sempre o seu preço alvo. Uns dias mais caro, outros mais barato, mas a média é sempre a desejada desde o primeiro dia. Isto para quem tem empresas que fazem planeamento eficiente. 

O cliente final não nota, tem uma falsa sensação de poupança. Nalguns casos, pode até poupar, é verdade, mas com atenção, podem verificar que determinados produtos chegam inclusivamente a subir exponencialmente de 5ª para 6ª, para depois serem aplicados os grandes descontos. E é isto que me irrita.

Mesmo poupando, na verdade, e salvo raras excepções, não estaremos a pagar menos do que o lucro que a empresa sempre quis. O problema é que em Portugal os impostos são astronómicos, fazendo com que as empresas nem consigam "ajudar" tanto (os descontos são sempre reduzidos, em comparação com o que se passa, principalmente, nos Estados Unidos). 

Em resumo: até podemos poupar uns euros, a questão foi que durante o resto do ano, andaram a brincar com a nossa cara, fazendo preços mais caros do que aquilo que seria, teoricamente, justo. Há uma inflacção própria a contar com o Black Friday

HOJE AS MINIS NO SIMÃO ESCUTA SÃO À BORLA! Como nos outros dias...

Bom, agora vou ver umas lojas online.

16 comentários:

  1. Pá, o Bieber é canadiano. Nasceu em O(n)tário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem visto. Mas para os devidos efeitos, é americano e otário.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Quando o leitor reconhece o trabalho em prol da comunidade, o Autor esboça um sorriso interior.

      Eliminar
  3. Podes ter toda a razão mas não deixa de ser poupança. Pq se o cliente comprar na quarta feira vai ser bem mais caro do que comprar na sexta. Pode ser um engodo (e é) mas para o cliente é o menos mau.

    ResponderEliminar
  4. Epá, isto nos Açores não há nada de Sexta Feira Preta.

    É óbvio que nunca ficam a perder. Isso não tinha lógica. Mas a verdade é que o cliente acaba sempre por poupar. A diferença é que é menos roubado.

    Eu até acho lógica a está política de Sexta Feira Preta para produtos descontinuados. Por exemplo, aqui nesta cantinas da paraíso, tem uma loja com TVs LCD de modelos com 4 ou mais anos, aos preços dos novos modelos. Ora, eu não vou pagar por aquilo, o mesmo que pago por um modelo novo. Aquilo é dinheiro perdido. Se vendessem a 70% de desconto, às tantas ia comprar uma só para jogar PES14 no quarto.

    ResponderEliminar
  5. Já para não falar no facto de os grandes descontos começarem no dia 26 de Dezembro. Depois de a malta já ter esvaziado os bolsos a comprar prendas de Natal para oferecer no dia 25!!!!!!

    ResponderEliminar
  6. O POC tem razão... acho que foi isso mesmo que os estudos divulgaram que faz dos grngos o povo mais estupido do lote dos que não sabe onde fica Portugal... o que sabem onde fica Portugal são os chamados portugueses

    ResponderEliminar
  7. Eu já sabia dessa estratégia. No entanto, amanha vou à mesma à Merdia-Market. Isto porque vi há duas semanas um tablet brutal que estava a 169€ e vou lá dar o olho a ver se o preço se mantêm ou se está o mesmo preço mas como um 'antes 269€, agora 169€' é que peço logo o Livro de Reclamações. Não é que sirva para granda coisa, mas ao menos divirto-me.

    ResponderEliminar
  8. Acabei de publicar um exemplo concreto que se passou comigo, na Mango. Vejam
    http://na-provincia.blogspot.pt/2013/11/mango-shopping-days-tudo-30-descubram.html

    ResponderEliminar
  9. Oh, é eu a pensar que Black Friday era uma festa no B.Leza...bah :p

    ResponderEliminar
  10. As coisas não são assim que se passam nos EU. Mas seriam assim se fosse em Portugal, à chico esperto. Portanto, fala por ti.

    ResponderEliminar
  11. No seguimento do comentário acima efetuado por mim venho pelo presente indicar v. exma. que a Media-Market encontra-se dentro do regulamento. Agora falando em português. Afinal os gajos baixaram mesmo o valor das coisas pá. O tablet super fofinho que há duas semanas estava a 169€ encontra-se a 129€.

    ResponderEliminar
  12. No Brasil é a mesma coisa, paga-se a metade do dobro e o pessoal fica feliz! Pior mesmo é quando colocam ainda mais caro do que o preço habitual...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Pois, nada que já não soubesse.....esquemas para deixar a malta feliz!

    ResponderEliminar