Amorzinho

O taxista que anda comigo para trás e para a frente na maior parte dos tratamentos, tem duas mulheres. 
De início fazia-me confusão, porque percebi que existiam duas. E num homem de 67 anos é obra. Mas rapidamente percebi: uma é "a minha mulher", a outra é "a minha mulher que Deus tem". E fala sempre desta forma.

É bonito pensar que, apesar da fatalidade, não se esquece, aprende-se a seguir, honrando sempre o passado. Respect.

Mais bonito é estar a chegar a casa, o telefone dele tocar e aparecer... "Amorzinho". Fiquei envergonhado por ler aquilo, mas estava mesmo à minha frente. Só agradeci ao Deus do senhor taxista por não ter visto esta designação no telemóvel de algum amigo meu. Era coisa para me dar a volta ao estômago.

Detesto ver gente feliz.

32 comentários:

  1. Não vinha por acaso um número a seguir ao "Amorzinho"? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se fosse o número 2. Que ele só tem duas :)

      Eliminar
  2. a história é bonita ♥
    (mas "amorzinho" é demais. haja respeito (e dó) por quem te lê.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre bom quando alguém compreende o meu sentimento.

      Eliminar
    2. achas que sim?! pois estava a fazer bluff. quem me dera a mim chegar aos 70 anos e ter o meu homem a fazer-me massagens nos pés e a chamar-me de amorzinho, e andar atrás de mim para me dar beijinhos e a dizer coisas piegas. adeus.

      Eliminar
    3. e andarmos de mão dada, pronto. xau.

      Eliminar
    4. Esses homens existem? Pfff...

      Eliminar
  3. Uns com tanto e outros com tão pouco.

    ResponderEliminar
  4. Oh, é querido. Afinal o amor é piegas e tudo mais. ;)

    ResponderEliminar
  5. :)
    Vou partilhar este post noutro blog (Xaxia) porque têm tudo a ver.
    (É bonito, sim senhor)

    ResponderEliminar
  6. O teu taxista é um querido e tu...tu POC, estás a ficar um mole :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por causa disso é que fui tomar um banho de hidromas...quer dizer, de água gelada, só para voltar a enrijar.

      Eliminar
    2. Esse banho quase me podia fazer soltar um "inveja!", mas depois li o gelada outra vez...

      Eliminar
    3. Um banho de água gelada, mas com um chocolate a seguir, para retemperar energias.

      Eliminar
    4. Ora aí o que eu não tinha em casa ...epic fail!

      Eliminar
  7. Era pior se fosse "mor", ou "morzinho". Bem pior!

    ResponderEliminar
  8. Tretas, ficaste derretido.
    Chegaste ao teu destino e recolheste uma lágrima, a malandra, ao canto do olho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. Daquelas lágrimas. De conter o riso.

      Eliminar
  9. A história até é fofinha. E a tua frase de honrar o passado também :)

    ResponderEliminar
  10. Acontecer isso com um miúdo de 16 anos ainda há a desculpa das hormonas, agora aos 67! Mas era 10x pior se fosse "mor" , "morzão", "bé" , "bébé", "gato" e outras atrocidades que tenho ouvido. (...a lista é infinita) A malta é registada ao nascer por algum motivo, sem bem que agora que penso nisso, nem todos têm a sorte de um nome espectacular!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem visto. Se o seu namorado se chamar Anacleto, é provável que, no telemóvel, acabe por escrever "mor".

      Eliminar
    2. O Autor deve ter poderes psiquicos, só pode...Acertou em cheio Anacleto Pancrácio pobre rapaz!

      Eliminar
    3. Pode chamar-me de O Bonito. Quer dizer, O Mentalista.

      Eliminar
  11. Espero então que dia 14 de fevereiro não tenhas tratamento! E que não saias de casa, já agora.

    ResponderEliminar
  12. Ora aí está o que eu não tinha em casa...epic fail!

    ResponderEliminar