Bom senso: a ser desprezado desde 1900 DC

Ao ver a gravidade da situação, avisou o 4º árbitro do sucedido, pedindo para parar o jogo, e correu para prestar auxílio ao jovem. Salvou-lhe a vida, ou, pelo menos, evitou que a situação tomasse outras proporções. Mas em contrapartida, o árbitro expulsou-o por ter entrado em campo sem autorização.

Eu pergunto: onde fica o bom senso desta gente? A vida humana não vale mais que qualquer regra meramente técnica? Se o árbitro teve a capacidade de perceber a gravidade da situação, se percebeu que não houve nenhuma “artimanha” (como simulação de lesões), necessita retirar um médico de campo? E quando alguém se magoar no que falta decorrer do jogo, ligam para o seguro a pedir um médico?

Com a devida distância (a todos os níveis), já estou a imaginar precisarem novamente do médico e sair algo como Mafamude (bela recordação):



2 comentários:

  1. Olha que eu acho que foi o médico da equipa adversária, o que torna as coisas mais ridículas ainda. Mas não tenho a certeza desse ponto.

    ResponderEliminar