Cristiano Ronaldo...outra vez? Sim, tem de ser. Surgiu outra prova

Em Espanha também gostam do Questiano Azeiteiro, mas não deixam de colocar o dedo na ferida (ao contrário de cá) quando julgam ter motivos para isso. Por exemplo, o Benfica foi incrivelmente prejudicado na final da Liga Europa, mas a comunicação social portuguesa preferiu elogiar um tal de Beto, um imbecil em forma de jogador de futebol. Em paralelo, quando o FCP é prejudicado num lance europeu - e só num - a comunicação social portuguesa faz capas e notícias de abertura porque o suposto melhor não ganhou e foi roubado. Já em Espanha, e ainda a respeito da final contra o Sevilha, apesar de estarem obviamente felizes, disseram de forma clara que tinham sido beneficiados e que existiram erros muito graves durante o jogo. Mas isto é só uma introdução, calma.

Voltando a Cristiano, e frisando que nunca coloco em causa o seu valor futebolístico, deixo mais uma prova inequívoca de como ele, num desporto colectivo, tem as prioridades trocadas. Ou, pelo menos, deixo mais uma prova onde fica explícito o seu egocentrismo desmedido, ridículo e lamentável. E, tal como na final da Liga Europa, também aqui são os espanhóis a “reclamarem”.

O cenário é a final da Liga dos Campeões, a maior prova do mundo, aquilo por que qualquer jogador sonha.
Derrotados, no desconto de tempo, Sergio Ramos salva o Real Madrid e marca o golo mais importante de toda a época, talvez o mais importante dos últimos 12 anos de história dos merengues. Toda a equipa fica louca e festeja efusivamente. Cristiano nem se mexeu. Foi o único elemento do Real Madrid (desde o roupeiro, ao jogador, ao adepto e ao simpatizante português do Ronaldismo) que não festejou. O único. A nível mundial. Exagero meu? Lamento, mas nem por sombras. Aliás, para quem segue o fenómeno do futebol, sabe que é recorrente Cristiano não festejar golos de colegas, ou, pelo menos, festejá-los com verdadeiro entusiasmo.
O seguidista ridículo de Ronaldo (aquele português que acha que temos de gostar dele só porque sim, sem conseguir argumentar) vai dizer que é montagem ou que ele estava concentrado na reviravolta. A questão é que não é montagem e quando se está concentrado na reviravolta, vai-se buscar a bola à baliza, sempre com “pica”, com ganas.

A prova:

Porque Cristiano não se mexeu? Simples: porque não foi ele a figura do jogo. Porque a decisão não foi dele. Porque lhe roubaram protagonismo. Já quando marcou um golo sem absolutamente relevo nenhum, com o jogo fechado, festejou da forma ridícula que viram. E porquê? Porque sabia que estavam, durante a final, a fazer um filme sobre ele. E, mais importante, porque o que ele estava a festejar não era a vitória, era ter batido um recorde de Messi.

Já contra Espanha, na decisão por penaltis, Cristiano quis marcar o último penalti para ser ele a estrela. Prejudicou o País (juntamente com quem permitiu que isso acontecesse – Paulo Bento) e, como paga (que os portugueses não mereciam), nem chegou a ter direito a marcar o suposto penalti da vitória… porque já tínhamos sido eliminados antes (os melhores marcadores de penaltis marcam sempre os primeiros, é uma questão de probabilidade de vitória, não de sorte ou azar).

Gosto muito dele futebolisticamente, acho que tem todo o valor do mundo, é um trabalhador incansável, e sem discutir o dinheiro exagerado que se movimenta, merece o que tem. Passou por dificuldades na vida, veio sozinho para Lisboa em miúdo, vem de origens humildes, o que quiserem. Tudo verdade. Mas nada, nada justifica estas atitudes. Nenhum colega de equipa gosta de ver ou sentir isto.


Se eu estivesse numa final daquelas, festejava que nem louco, mesmo que o golo fosse do Passos Coelho. 

25 comentários:

  1. pratiquei desportos colectivos até hoje e de certeza que por muito bom que se seja, muitos dos colegas trocariam por um mais humilde dentro de campo, é um ego demasiado grande para se lidar...
    para quem está do lado de fora é fácil de analisar, mas lidar com uma pessoa daquelas é demasiado difícil...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que ele tenha muitas qualidades. Afinal, é uma pessoa como qualquer outra. Mas revela ter defeitos que não se coadunam com desportos colectivos.

      Eliminar
  2. Um jogador de outro mundo, mas um palhacito azeiteiro!
    A minha opinião é igual à tua. Sem tirar nem por.

    ResponderEliminar
  3. Fui jogador profissional, e o que mais odiava era ver colegas, de equipa ou não, sem um pingo de humildade.... Nada o justifica, por muito bom que se seja ou que se tenha atingido/conquistado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só joguei federado em miúdo, não é a mesma coisa, mas os princípios estão lá. As vedetas, pseudo-vedetas, sempre foram "odiadas". Por muito que jogassem à bola.
      Jogaste futebol ou outra modalidade? Até que divisão?

      Eliminar
    2. Joguei basket e joguei na liga profissional.

      Eliminar
    3. @Anónimo 16:11, excelente, parabéns.

      Eliminar
  4. o Ronaldo até tinha o braço partido para estar levantado... nem foi para celebrar... ir buscar a bola ao fundo da baliza também é normal qd n se festeja... cada um vê o que quer...

    a história dos penaltis contra a Espanha é mais uma história parva de alguém que procura argumentos onde não existem... até parece que o Ronaldo nesse ano nem tinha falhado um penalti que impediu o Real de chegar à final da Champions... mas ficou para último porque sabia que outros iam falhar primeiro... grande sinal de confiança que ele daria se quisesse marcar mais cedo porque não queria marcar o penalti que normalmente é decisivo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já percebemos que tens o Questiano tatuado no braço.

      Eliminar
    2. O argumento dos penalties contra a Espanha é má-vontade sua. Essa dos melhores marcarem primeiro... piada, certo? O normal é os tipos com mais experiência ficarem para o fim pela capacidade de aguentar a pressão.. O Baggio em 1994 era o mais fraco da equipa? O maradona em 1990 era o mais fraco? o Pirlo contra a Inglaterra (marcou em 3º) por essa logica teria sido o primeiro....e por ai fora...

      Também não gosto dele e abomino particularmente aquela celebração do "eu estou aqui" como na Suecia. Mais, pior ainda que não festejar o golo do Sergio Ramos, foi aquela figurinha no penalty do 4-1.

      Mas a dos penalties é injusta.


      Eliminar
    3. @Anónimo 16:14, foi um bom ponto de vista. Mas atenção a um pormenor: esses exemplos são casos de sucesso até ao 5º penalti. Se a coisa estivesse tremida, arriscariam tanto? Luisão, supostamente ao ver os colegas falharem em Turim, fez isso, passou à frente para retirar pressão.
      Mas admito que possa ser "má vontade" minha.

      Eliminar
    4. eu não me vou casar com ele por isso não preciso de gostar dele... mas também não preciso de o odiar lol

      vocês parecem os anti-benfica... não gostam dele mas estão sempre a falar dele! e quando não têm nada de interessante para falar inventam! e eu é que tenho uma tatuagem dele? só se vocês andarem a ter pesadelos ou sonhos húmidos com ele ROFL

      Eliminar
    5. Pessoalmente falo nele porque acho lamentável que o povo português, na sua maioria, seja tacanho ao ponto de achar que temos todos de gostar dele. Só falta estar na Constituição.

      Eliminar
  5. E que tal falar sobre coisas verdadeiramente importantes:
    https://www.youtube.com/watch?v=xVza_aaee_g

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não queria adiantar muito, mas o Simão Escuta está por trás desse evento.

      Eliminar
  6. Acho q são demasiadas justificações para algo q todos sabemos. Eu não sei o q faria ao marcar o meu 17° golo na mesma edição da CL, logo na final, fosse de penalti, fora de jogo ou com a mão, creio q festejaria efusivamente, mesmo q para o resultado já não importasse nada. Como de igual maneira festejaria o golo do Ramos, o golo q devolveu esperança a uma final praticamente perdida. Sobre o Sevilla, eu vivo na Andaluzia e só posso dizer q um caso não são casos. A CS espanhola trata a liga portuguesa como a nossa CS trata a liga argentina, a diferença está q a nossa o faz pela distância e a deles por indiferencia. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vindo (acho que é a primeira vez). Os espanhóis têm uma boa liga, boas equipas, mas têm o complexo com os portugueses (digo eu). Fazem questão em desprezar. Mas o próprio Cristiano, Mourinho, Futre, Figo e outros já mostraram que são tão bons ou melhores que os deles.
      Força por terras andaluzes.

      Eliminar
  7. You're the man! Cheers for that, mate.
    Conto-te uma minha, que ilustra o que penso deste enorme jogador e pequena pessoa...
    Nacional de Juniores, de 85 ou 86, estávamos a perder em casa com o Glorioso, 1-0 a 5 minutos do fim, livre para nós desviado pá direita...golo meu. Não fosse o pessoal a cair em cima de mim, e eu tinha continuado a "voar", mas parado no mesmo sítio, sem saber onde estava eheheheh devia ter corrido, saltado ou gritado, mas nada...e não foi por respeito ao nosso Benfica, acredita. No último minuto, marcámos o golo da vitória e aí sim, corri, saltei e gritei como sempre fiz em todos os jogos que participei fosse na rua, em pelados ou relvados!
    Quando critíco abertamente certas formas de ser e estar do Reinaldo, e alguns palermas me dizem que tenho é inveja...."tenho é pena, pah!" ;)
    Abraço POC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E com esta lembrei-me dos meus momentos áureos, neste caso nos juvenis, em que saía do campo com a certeza que se não era o melhor do mundo, estava entre os dois melhores. E aquele hat-trick no Estádio Nacional? Os leitores devem ter ouvido falar desse meu célebre jogo contra o Dafundo. Foi muito falado a nível internacional na altura. Ou foi isso ou uma notícia sobre fraude financeira.

      Eliminar
  8. Já vivi uns anos em Granada e tal como diz o BMC, é assim que tratam o futebol Português, pq as outras modalidades, acho que nem se dão ao trabalho de conhecer! Como povo, não curto os gajos, mas como pessoas, só tenho a dizer bem! Integrei-me na boa e aceitaram-me como um deles. Agora que gostava que fossem eliminados no Mundial, de preferência por nós, lá isso gostava!!
    Abraço.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é verdade que os espanhóis não se gramam uns ao outros (quando são de regiões diferentes)?

      Eliminar
    2. Há grandes rivalidades entre ele, sim. Numas regiões, mais que outras. São todos muito ciosos da sua terra, costumes e forma de falar.

      Eliminar
  9. A sério? Acha mesmo que o FCP é sempre mais noticia que o SLB? Não deve ver os mesmo canais que eu. Quando ao Ronaldo, ninguém é perfeito. Eu nem sou grande fã, mas admito que ele se esforça para ser o que é, o que me faz admira-lo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O SLB é mais notícia que o FCP, pela questão dos adeptos (não o digo com gozação, provocação ou orgulho, estou só a constatar o facto de termos mais adeptos). No entanto, o caso da Supertaça europeia contra o Barcelona em que perderam e ficou um penalti por marcar, deu capas e uivos e acusações à arbitragem. Já a final da Liga Europa, que foi o que foi, os jornais destacaram Beto e quase não fizeram referência ao que se passou.

      No que respeita a Cristiano, também o admiro pelo trabalho que faz para estar no topo. São coisas diferentes. Reconheço-lhe todo o mérito.

      Eliminar