Piada Farsola #66 - O Tio Armindo

Ao chegar mais cedo a casa, o homem encontra a sua mulher na cama, nua e ofegante. 
- Que tens, meu amor? Sentes-te bem?
Aflita, responde a mulher:
- Acho que estou a ter um ataque de coração…
Nisto o filho do casal irrompe no quarto:
- Papá, o tio Armindo está todo nu na casa de banho!
O homem corre para a casa de banho e dá de caras com o familiar:
- Parece impossível, Armindo! A tua cunhada a ter um enfarte e tu aqui a assustar as crianças!

Operação Coração, 1 Like + 1 Like

Atingimos os 1000 Likes durante o dia de hoje. É um marco, ou neste caso, um Tiago Mendes.
Não queremos ficar por aqui, apesar de que chegámos a querer parar nos 999. Como tal, e de forma a atingirmos rapidamente o número de Likes que o Cristiano Ronaldo tem, lançamos hoje, em exclusivo nacional, a campanha "1 Like + 1 Like".

Ora, por cada leitor que tenha feito ou faça 1 Like, tem de entrar outro que também o faça. Vamos imaginar: se o Passos Coelho fizer um Like (acho que já fez), vai ter de trazer o Paulo Portas. Depois, o Paulo Portas vai trazer o Luís de Matos. O Luís de Matos traz o Pinto da Costa. O Pinto da Costa traz a Prostituta Número 24, que por sua vez traz Nuno Luz, Nuno Luz traz Pinto Balsemão e Pinto Balsemão traz Carolina Torres. E depois a Carolina Torres traz as amigas e ficamos todos felizes.


Sendo assim, os leitores têm até às 23:59 de hoje para colocarem em prática O plano. Caso continuem a ignorar a este movimento histórico, iremos avançar para o fim deste blogue. Caso ignorem este movimento histórico e ainda tenham a distinta lata de acharem isto ridículo, vamos fazer com que o fim do blogue seja o menor dos vossos problemas: acabamos com a rubrica "A Leitora mostra-se".

Tem a palavra o leitor.

Visitem aqui o Facenice deste vosso tasco que vos serve minis e tremoços sem olhar a raças, partidos ou clubes. Apesar de que os benfiquistas têm acesso a comerem tremoços a partir do umbigo duma gostosona que temos ao balcão.

Amorzinho

O taxista que anda comigo para trás e para a frente na maior parte dos tratamentos, tem duas mulheres. 
De início fazia-me confusão, porque percebi que existiam duas. E num homem de 67 anos é obra. Mas rapidamente percebi: uma é "a minha mulher", a outra é "a minha mulher que Deus tem". E fala sempre desta forma.

É bonito pensar que, apesar da fatalidade, não se esquece, aprende-se a seguir, honrando sempre o passado. Respect.

Mais bonito é estar a chegar a casa, o telefone dele tocar e aparecer... "Amorzinho". Fiquei envergonhado por ler aquilo, mas estava mesmo à minha frente. Só agradeci ao Deus do senhor taxista por não ter visto esta designação no telemóvel de algum amigo meu. Era coisa para me dar a volta ao estômago.

Detesto ver gente feliz.

BarclayCard, o outro nome da Brigada dos Bons Costumes

Há muitos anos atrás, quando o Sporting de Lisboa fechava os olhos à corrupção, tive necessidade de fazer um cartão de crédito. Como o Citi oferecia o cartão de forma gratuita e eu queria começar a fazer compras na intermete, fiz-me cliente, pois nem precisava de conta à ordem/prazo no banco deles. 
Depois o Barclays comprou o Citi e o resto é história: em vez de termos tipos muito chatos do Citi no meio dos centros comerciais, passámos a ter os mesmos tipos, mas do BarclayCard.

Quando fui fazer esta viagem, precisei de ter um cartão com um plafond maior, e por isso aderi ao cartão de crédito do Benfica da CGD. Assim, e como extra, de cada vez que o Cardozo marca um golo ao Patrício, eu recebo € 0.5 na conta. Um bom negócio.
Nisto, nunca mais usei o BarclayCard. Mas há 2 semanas tive um problema com o cartão da CGD e voltei a usar o dos senhores chatos. 
Sozinho nesta baixa, quis carregar a minha conta na BetFair para fazer umas apostas. E não consegui. Passadas umas horas, recebo informação de que o cartão está bloqueado. Liguei para lá e fiquei a saber que, no Barclays, não permitem utilização do cartão de crédito para jogo online e conteúdo para adultos.
Muito bom.

Se em relação às apostas, ainda posso tentar compreender, fiquei maravilhado pela proibição de utilização do cartão para comprar um filme pornográfico ou algo semelhante.

O Barclays funciona como a Brigada dos Bons Costumes. Falta proibirem o conteúdo que circula nos e-mails, os sites pornográficos, o vernáculo e as prostitutas.

Obrigado Barclays.

Anúncio do vencedor: convite duplo para Planeta Fluffen

"Vim aqui porque vi convite duplo de graça...
Depois vi que tinha de justificar que isto era um grande blog, e não sei o quê e panorama nacional...e desisti...
Parabéns ao vencedor... desculpa POC, mas a minha mãezinha sempre me ensinou a não mentir.

Já agora, uma mini e uns tremocitos aqui para a mesa, eu pago quando receber.
Abraço"

Parabéns, Jay. Email para o tasco por favor. Primeiro e último nome.

Menção honrosa para joaoc. Se o Jay não tiver namorada, mulher, amante ou amigas, que faça o convite ao vencido e vão os dois.


Bom espectáculo.




Planeta Fluffen e Ricardo Carriço - oferta convite duplo

As 'essoas julgam que isto é um blogue sem nível, mas a verdade é que isto é um blogue sem nível.

Cometeram uma gaffe e acharam que somos merecedores da passadeira vermelha dos VIP's deste País. Como tal, convidaram-nos para a estreia dos Planeta Fluffen, já nesta quinta-feira (dia 30), 21:30, Teatro Villaret. Um espectáculo que se espera que seja trágico. Ou cómico. Mas sempre solidário.


"Este espectáculo é solidário, toda a bilheteira reverte a favor da Casa dos Rapazes e teremos alguns convidados especiais, entre os quais o Ricardo Carriço, a Lola (guitarrista das Anarchicks) e outros convidados-mistério. Esta é a nossa grande estreia (estamos nervosos). O espectáculo será no Teatro Villaret, no dia 30 de Janeiro, pelas 21:30.

Nós, os Planeta Fluffen, somos um quarteto musical cómico. O nosso espetáculo mistura musicalidade com stand-up comedy e exercícios de improvisação com o público. Iniciámos esta banda em 2010, e para a história ficam as participações em televisão no Canal Q (finalistas no Programa Caça ao Cómico) e no Cinco Para a Meia-Noite, os vários espetáculos ao Vivo no Teatro S.Luiz em Lisboa, no Casino da Figueira da Foz, no Teatro Municipal da Guarda, no Pavilhão de Macau em Loures, no Armazém 13 em Lisboa, Braga, Peniche, Óbidos, etc., os cerca de 5.000 seguidores na sua página oficial, e os vários videoclips da banda (http://www.youtube.com/user/PlanetaFluffen?feature=watch)."


Devido a compromissos de agenda do Autor, e com o acordo dos Planeta Fluffen, vamos oferecer um convite duplo para o espectáculo.
Quem quiser passar um serão diferente nesta quinta-feira, só terá que deixar um comentário neste artigo, explicando o porquê deste ser o grande blogue de referência nacional. O melhor comentário irá receber a oferta.

Os comentários deste artigo só serão publicados amanhã, logo depois do anúncio do vencedor (às 11:31).
Aí poderão consultar o que fez a concorrência.

Boa sorte. E não, não se trata de brincadeira.

Piada Farsola #65 - Amante em fuga

Um tipo está na cama com a amante quando ouve os passos do marido desta.
A amante manda-o pegar as roupas e sair rapidamente pela janela. Ele reclama, porque está a chover muito, mas não tendo outra solução, salta e cai no meio da rua, onde está a passar uma maratona.
Aproveitando a situação, começa a correr com os maratonistas, que o olham de forma estranha. É que ele ia nu.

Um corredor pergunta:
- Você corre sempre nu?
- Sim. – responde o amante – É tão bom ter esta sensação de liberdade.
Outro corredor pergunta:
- Mas você corre sempre nu e com as roupas nas mãos?
O tipo não se dá por vencido:
- É, gosto assim. Posso vestir-me no fim da corrida e ir para o carro e directo para casa.
Um terceiro corredor insiste:
- Mas você corre sempre nu, com as roupas nas mãos e com um preservativo na pila? O amante responde:
- Só quando está a chover.

Casa das Histórias Aníbal Cavaco Silva

Um dos últimos de Paula Rego:


"Quiçá como reacção à extinção da Fundação Paula Rego, instalada na Casa das Histórias em Cascais. 

Tendo sido apresentado em Londres, na sua última exposição (Jan-Março 2013), o quadro representa a figura de um 'palhaço rico' (onde se reconhece perfeitamente o retrato de Aníbal Cavaco Silva), com um pé no pedestal, a mamar nos seios de uma velha e decrépita República, aperaltada com um chapéu.
O palhaço com a mão esquerda 'coça a micose'.
A Velha pode representar a política, ou a Nação. O quadro chama-se 'The Last Feed'  ('A Última Mamada').
Apesar de ter tido algum eco nas redes sociais não há registo de grandes referências à exposição (ou ao quadro) na imprensa portuguesa.
Ainda não se sabe se/quando a exposição virá a Portugal e se o quadro fará parte dela."

Ainda há esperança: Facebook poderá perder 80% dos utilizadores até 2017

Segundo um estudo que me agrada, mas que me faz ter muitas dúvidas, o Facebook vem por aí abaixo. Não é bem "colocar uma bomba", como o vosso Autor deseja, mas já é um começo.


Poderão saber os detalhes clicando no texto de cima ou aqui, onde outro estudo diz basicamente que a percentagem de "desistências" está a subir ligeiramente. 

De qualquer forma, duvido do estudo. Porquê? Porque o Facebook só vai por água abaixo se ou quando surgir alguma coisa melhor. 
Não gosto do tipo de rede social, mas não parece ter rival. Nem agora, nem nos próximos tempos.

E vocês, estão a utilizar menos a principal rede social? Precisam mesmo dela? Não é demasiado invasiva? O Facebook vai acabar?

Fizz Limão no Panteão - divulga

Apesar de achar que D'Eusébio merece, sem sombra de dúvidas, lugar no Panteão, quer-me parecer que o lugar dele não é ali. 
Se nos Jerónimos está complicado em virtude do tráfego que por lá circula normalmente, julgo que devemos encarar o complexo à volta do Estádio da Luz como o local mais apropriado. Ali, a proteger a equipa. Ali, a ser lembrado e acarinhado semanalmente.

Mas a questão que se coloca é? Se D'Eusébio não chega a entrar no Panteão, quem vai ocupar o seu lugar no curto prazo? A resposta é a mais óbvia: o Fizz de Limão.


Temos o apoio do homem por detrás do nome deste blogue. Aqui está ele, no sol do Algarve, a comer um Fizz durante o dia de hoje. Um exclusivo deste vosso que vos serve.

Juntem-se a nós e promovam o Fizz Limão ao Panteão. Tragam os vossos amigos, os conhecidos, os assim-assim, os chungas e os tipos que acham que "pacto de silêncio" existe em praxes (estes só para serem aviados forte e feio) e façam Like no Simão Escuta (se não chegarmos aos 300.000 Likes até às 23:59, o Autor demite-se). 

Se há quem merece o Panteão, é o Fizz. O próximo Verão é no Panteão.

Comentário elevado a post #18 - Ainda a beleza interior

Neste artigo, o nosso leitor j brito diz: "Beleza interior para quê..!? Não vou virá-la do avesso..."

A poesia tem e terá sempre lugar de destaque neste antro.

A leitora mostra-se #14 - O Movimento sobrevive

Todos temos alturas em que repensamos na vida. A mim tem-me acontecido bastante, especialmente nesta fase em que sou um coxo em recuperação. E mesmo no passado acontecia. Mas, por 13 vezes alguém me salvou. E quando estava aqui a atravessar uma grave crise, fui salvo pela 14ª vez.

Uma anónima leitora, não querendo deixar escapar um dos dois últimos chocolates belgas, enviou-nos esta benção:



Volto a frisar: sobra um chocolate. Que haja decência e se retribue todo o Serviço Público que o Autor faz pela Comunidade. 

Comentário elevado a post #17 - Beleza interior

A respeito do artigo sobre a beleza física ser ou não um mito, a leitora Louis Lane partilhou connosco, em jeito de Piada Farsola, um importante ditado onde os seus amigos falavam sobre a "beleza". 

"O que conta é a beleza interior! Uma vez lá dentro... Beleza!"

É muito isto. Obrigado.

A crise é uma utopia

Eu também gostava de ser milionário. Mas sem esquemas. Talvez o ideal fosse mesmo ser um palerma sem valor nenhum e cair-me o Euromilhões. Assim nunca poderiam dizer que alinhei em esquemas menos claros para me tornar rico.

Não sendo milionário, pertenço aos mais de 99% que detêm metade da riqueza mundial. Ou seja, metade da riqueza está na posse de 1% da população. Mais coisa, menos coisa.

Trata-se de um estudo (aqui e aqui) que também indica que a riqueza das 85 (não é engano, oitenta e cinco) pessoas mais ricas do mundo corresponde à riqueza da metade mais pobre da população mundial.

Mas ainda não acabou. Portugal é um dos países onde a riqueza dos do costume duplicou nos últimos 20/30 anos.

A crise é uma utopia. É fictícia. É informática. É política. É injusta. É viciada. É suja.




Ah...que saudades das praxes...

Quando entrei na faculdade, aos 18 anos, não existiram praxes. Éramos os primeiros. A vida deu muitas voltas e acabei por frequentar outra faculdade, no mesmo curso. Aí, na Nova (Costa DE Caparica), haviam. Mas entrei mais tarde, já corriam as aulas e tinha 21 anos. Depois, com a minha postura de copo de uísque numa mão e charuto na outra, tinha um ar mais velho e ninguém me aborrecia. 
Acabei por mudar novamente de faculdade, mas agora também de curso. E desta vez para ir até ao fim e ser o melhor do mundo. Já estava a trabalhar e fiz o curso em regime pós-laboral. A vida académica não se sente tanto. 

Em resumo, vi muita coisa. Que pusesse em risco alguém, felizmente não. Vi uma ou outra coisa ridícula, mas não no bom sentido. E pensei "ai se fosse comigo...". E ri-me da tristeza desses imbecis. Porque são tristes. E imbecis.
Uma ou outra vez, quiseram que eu participasse, como praxista. Tive que explicar que só empranxava caloiras e mulheres maduras. E diziam eles "ah, mas assim nunca mais vais poder praxar". E eu respondia "vai mamar na 5ª pata do cavalo, que detesto gente ridícula com códigos ridículos". Vocês têm de me perdoar uma ou outra expressão a cair para o vernáculo, mas é que tenho um carinho especial por esta gente.

Bom, vamos colocar os pontos nos i's (e nos j's - toda a gente se esquece deles, mas tenho evangelizado algumas pessoas): a praxe saudável, que fomenta o convívio, que é divertida... é bem-vinda. 
Portanto vamos clarificar: eu só me vou referir aos imbecis que julgam que têm uma lei própria.

E o que é um imbecil das praxes? O imbecil das praxes é o aluno(a) que acha que existe mesmo um Código. É o tal que acha que, por ser um ano mais velho, é o dono do mundo. Que acha que pode mandar fazer o que quiser. Que arranja praxes humilhantes, parvas, ridículas e a roçar a escravidão. Esse é aquele aluno que também pode ser chamado de filho da puta. Que devia enfardar umas murraças na frente de toda a gente, indo buscar os dentes ao jardim mais próximo.

Importa falar de quem aceita ser praxado em condições deploráveis. Esse é o aluno(a) semi-imbecil. Ou parvo, vá. Porque alinhar, sem vontade, é ser-se também muito limitado intelectualmente. Mas qual é o problema de se dizer "eu não faço isso"? Que vai acontecer? O grupo do Código vai-se juntar e decretar que vão morrer de morte natural aos 124 anos?


(Nota da Redacção: este artigo é baseado no suposto pacto de silêncio)

Pronto, depois desta lenga-lenga, chegamos à tragédia do Meco. Morreram jovens. E sobreviveu um. Mas esse, e os outros que faziam parte mas não estavam na praia, estão num pacto de silêncio. Porquê? Porque devem achar que a Praxe é uma sociedade secreta milenar, onde estão a garantir a sobrevivência do mundo moderno ao não contarem detalhes do que se passou. Assim do género "vocês nunca iam entender".

(Lembrei-me agora, também gosto muito dos nomes deles, e do Dux e tal, os patrões... os mandões, os seres supremos. Isto porque o sobrevivente é Dux, não é? Nunca tive paciência para saber esses nomes. Para Quem é Quem, bastou-me o jogo.)

Então estes meninos, o sobrevivente e os outros, não falam? Muito bem? Prisão. Mas qual é a dúvida? Haja decência, coragem e honestidade intelectual. Se o rapaz não fala do que se passou, prisão. Quando quiser falar, sai. E isto SE tiver que sair. 
E resolve-se o assunto desta escumalha das praxes. Esteja ele em choque ou não, é inadmissível as famílias e amigos continuarem sem saber o que aconteceu.

Se por acaso a praxe que originou tragédia não era "má", então assuma-se que foi um acidente, que correu mal fruto da inexperiência, maluquice, juventude, álcool, drogas ou o que tenha sido. E como acidente, deve ser investigado para se garantir que nunca mais voltará a suceder. E de modo a que os familiares tenham direito a alguma paz.
Azares, infelizmente acontecem. Se alguma coisa saiu fora de controlo, que seja assumido e explicado.

Tivesse sido comigo, com algum dos meus. Os primeiros a serem apertados seriam os pais. Para darem educação ao filho e obrigarem-no a falar. Também são culpados, ao permitirem que um filho esteja em "pacto de silêncio".
E meus amigos, nestes casos, a violência não me choca. Mas mesmo nada. Eu usava-a, se necessário.
Educação é coisa cada vez mais rara neste País. E decência.

Como é óbvio, foi um azar. Ninguém tem de ser tratado como criminoso. Mas o silêncio, para mim, é crime.

Beleza física, um mito?

Para vocês, talvez. Para mim, algo intrínseco, pois não me posso dissociar da minha.

Há dias, o Mak trouxe à baila a transformação que alguns actores sofrem para realizar determinados filmes. É impressionante (e já vamos ver exemplos), mas ao ler o artigo, questionei-me acerca da aplicação destas "transformações" na vida real.

Bom gosto "natural", dinheiro e aconselhamento serão, em teoria, as premissas fundamentais para termos bom ar. Felizmente, como todos sabem/deduzem, não preciso de dinheiro porque sou muito lindo (mesmo assim, "muito lindo"), no entanto, este artigo é para vocês e é aí que me vou concentrar. Mais ou menos.

Foquem-se então no Antes (versão "sou um Zequinha") e no Depois (versão "meto um pé na rua e as mulheres atacam-me").


Aqui vemos o homem pelo qual 95% das mulheres deve suspirar, Matthew McConaughey. Reconheço que tem pinta, e sempre achei que podia fazer mais do que aqueles papéis engraçados mas que não foram marcantes. Parece que conseguiu agora, neste "O clube de Dallas". E quem diria que é ele? Mas é.


Antes da fantástica trilogia Batman (a sério, esqueçam a parte da ficção, o filme é bom), Christian Bale tinha aspecto duvidoso, estava como o McConaughey (quase a falecer, parece-me), um lingrinhas. Passados uns meses ou o camano, estava ele a degladiar-se como um super herói, com um corpanzil de meter medo ao Bane.


E agora digam lá, a beleza não é relativa? Quem é que ia achar atraente algum destes homens na sua versão "pau de virar tripas"? Quantos exemplos não nos passam à frente dos olhos, dia após dia?

Depois de ver estes exemplos, percebi que, bem acompanhado, com o cabelo certo, o bronze, o exercício físico, o dinheiro e tal, posso tornar-me num galã dos filmes. Posso e aconteço: produzido para o início das gravações do filme "O Bonito".


Crescer na Bruma

Como homem e como jogador. E onde? No Gala...coiso.
Momento épico:


Sei que te magoaste no joelho. As melhoras. E não pares de crescer, pá.

Piada Farsola #64 - A cura dos problemas sexuais matrimoniais

A mulher chegou a casa e disse para o seu marido:

- Zé, lembras-te das enxaquecas que eu costumava ter todas as vezes que nós íamos fazer amor? Estou curada.
- Não tens mais aquelas dores de cabeça?!, perguntou o Zé espantado.
A mulher explicou:
- A minha amiga Margarida indicou-me um terapeuta que me hipnotizou. Disse-me para ir para a frente do espelho, olhar bem para ele e repetir para mim mesma "não tenho mais dores de cabeça, não tenho mais dores de cabeça, não tenho mais dores de cabeça". Fiz isso e a dor de cabeça parece que desapareceu.

- Mas que maravilha!, disse o Zé, enquanto a mulher respondeu:
- Nos últimos anos tu não tens andado muito interessado em sexo. Porque é que não vais ao terapeuta e tentas ver se ele também te ajuda a teres novamente interesse em sexo?

O marido concordou, marcou uma consulta e alguns dias depois estava louco de desejo para uma noite de amor. Foi a correr para casa e mal entrou começou a arrancar as roupas e a arrastar a mulher para o quarto. Deitou-a na cama e disse-lhe:
- Não te mexas que eu já volto.

Foi à casa-de-banho e voltou logo depois, saltou para a cama e fez amor de uma maneira muito apaixonada, como não acontecia há muitos anos.

- Zé, foi maravilhoso!
- Não saias daí que eu volto já.

Foi à casa-de-banho e quando voltou, a segunda vez foi muito melhor que a primeira.
A mulher sentou-se na cama, a cabeça girava em êxtase com a experiência.
O marido disse outra vez:
- Não saias daí que eu volto já.

Foi à casa-de-banho novamente. Desta vez a mulher foi silenciosamente atrás dele e, quando chegou lá, o marido olhava para o espelho e dizia:
- Não é a minha mulher.
- Não é a minha mulher.
- Não é a minha mulher.
- Não é a minha mulher.
- Não é a minha mulher.
- Não é a minha mulher.

O Zé está no Hospital da Boa Saúde, enfermaria 23, sala 12, para os amigos que o queiram visitar.

Cristiano ganhou, mas vamos lá esclarecer umas coisas - A verdade inconveniente

Antes de mais, importa dizer que Messi, assim vestido, parecia um Mon Chéri.


E que Ruben Micael deve estar arrasado, porque se acha o melhor jogador português, quando nem o melhor da Madeira é.


Sei que o Cristiano lê isto. Sei que se importa com o que escrevo. E por isso Cristiano, de mim para ti, quero parabenizar-te pelo grande feito alcançado. Mas sabes que tenho um blogue para incendiar, e toda a blogosfera e Facebook portugueses vão escrever o mesmo, mas repetido vezes mil. Por isso, com licença.

Antes da lição futebolística que o Autor vai dar aos leitores, importa referir que Cristiano Ronaldo é um jogador absolutamente estrondoso. 
"Pfff, lições futebolísticas deste tipo? 'Tá bem 'tá... Vou mas é sair daqui rápido e sintonizar a Casa dos Segredos...mas quem é que ele pensa que é?". Pois, mas eu joguei no Carcavelos e no Manique, e tive um treinador que gritava "dá-Le", portanto acho que estamos conversados. 

Dizia que Cristiano é estrondoso e assombroso. É verdade. É uma máquina. É sinónimo de qualidade e de golos. É um orgulho ter um jogador assim na nossa Selecção. É um orgulho que seja Português. E merece. Porque trabalha muito para isto. Tem a sorte de poder trabalhar por prazer, como poucos podem, mas merece. Dá tudo. É um lutador. Um conquistador, em jeito de homenagem aos nossos Descobrimentos.

Já fui menos à bola com ele. Eu, que não vejo apenas o futebol de fim-de-semana que a maioria vê (ou melhor, vê os golos a passar no telejornal), vi muitas atitudes lamentáveis por parte do rapaz. Umas com colegas rivais, outras com público. Até porque, pessoalmente, não gosto de ver figuras destas a fazerem o "dedo" para quem paga bilhete.
Mas aprendi a relativizar. Li artigos interessantes de quem me fez ver que Cristiano era mais novo, que tinha condicionantes, etc.. E todos erramos. Dou-lhe o mérito de me parecer que está um pouco mais polido e educado. E caso se tenha esforçado por isso, os meus parabéns. Parece estar a resultar.
Isto para dizer que me libertei um pouco de algumas coisas menos boas sobre ele. Ainda por cima ele é benfiquista de coração e lagarto por obrigação, portanto há que dar desconto (podem vir dizer o que quiserem, ele até pode voltar ao Sporting daqui por uns anos, isso não muda nada. É agradecido ao clube, gosta, até pode torcer, mas não é genuíno. Os Bola de Ouro portugueses são todos vermelhos por dentro).

Agora em relação à Bola de Ouro propriamente dita, o resultado é justo. Porque:

- não importa o que um jogador ganha pelo clube, para isso existem os prémios colectivos, como as Taças de campeão, de vencedor da taça, da liga dos campeões, etc.;
- a Bola de Ouro é um prémio anual;
- a Bola de Ouro é um prémio que distingue aquele que foi o melhor jogador (e não a equipa ou os resultados colectivos) do ano;
- Cristiano esteve fantástico, como sempre;
- Messi esteve 2 meses parado;
- Cristiano terá estado em maior evidência.

Agora a verdade inconveniente para uma percentagem muito grande dos portugueses: Cristiano foi o melhor de 2013, mas não é o melhor do mundo. 


O "triste português" acha que temos de ser patriotas, mesmo que estejamos a avaliar alguém pelo motivo X, que nada está relacionado com nacionalidades. O "triste português" acha que gostar mais de outro jogador é ser-se anti-patriota e um verdadeiro criminoso. 
Já o "Português", pode, em consciência, achar que Cristiano é melhor. Mas não insulta quem acha o contrário. Apenas tem uma opinião diferente.

Apesar de ficar contente por Cristiano, e achar que mereceu este prémio, Messi é o melhor jogador do mundo. Não de 2013, mas da actualidade, destes tempos que vivemos.
É complicado dizer "melhor de sempre" porque as épocas eram diferentes, as comparações são madrastas. Mas, em teoria, e a continuar assim, era provável que fosse considerado o melhor da História.

A respeito da eterna "polémica" entre os dois astros, importa referir que se Cristiano é assombroso nos golos, Messi também o é. Iguais nesse aspecto. Mas depois temos as assistências, onde Messi vence claramente. E depois temos as transições ofensivas, os desequilíbrios. E é a partir daqui que já ninguém analisa. Porque não costumam ver os jogos, só mesmo os resumos dos golos e do que diz a imprensa portuguesa.

Cristiano tornou-se num finalizador implacável. É mais forte e mais completo (especialmente pelo jogo de cabeça, em que bate Messi aos pontos). Mas perdeu magia. Perdeu encanto, transformou-se. Poderá até ter refinado o seu jogo, mas deixou de ser um jogador "atraente" de ver jogar. São raras as vezes em que consegue sobressair no um para um. Isso acontece, sim, em velocidade. É uma máquina. Mas a sua magia são os remates e os golos. 
Mas Messi também tem velocidade. Tem menos velocidade de ponta, mas tem mais velocidade de explosão (são coisas diferentes). Também é "matador". E cria desequilíbrios como poucos. Como muito poucos. Tanto corre como finta. Tanto marca como dá a marcar. É capaz de ir a meio-campo e desatar o nó das jogadas. E isto meus inimigos, Cristiano não faz com a mesma mestria. 

O futebol não são apenas números (e importa referir que nem neste ponto Messi perde para Cristiano). O futebol é muito mais que isso. A única coisa que se pode dizer de Messi é que não mudou de clube para se testar ainda mais. E eu gostava que o fizesse. E nisso, Cristiano tem mérito em ter sido enorme em 2 clubes. 

Adoro o futebol de Cristiano, mas ele é "apenas" o melhor do mundo. Messi, que é praticamente 2 anos mais novo, esse é o melhor do Universo. E soube defender o nosso, dizendo que mereceu o prémio e foi o melhor.

Se têm dúvidas, se eu não sou imparcial, é melhor saberem que os jogadores profissionais portugueses elegeram Messi como o melhor. Tal como Villas-Boas disse, "este ano merece, mas Messi é melhor". Tal como, tirando os colegas de Selecção e de clube de Cristiano (tem de ser assim), quase todos os profissionais de futebol (jogadores e treinadores) partilham da mesma opinião. É consultarem os peritos.

Isto não é nenhuma desconsideração para com Cristiano. Todos adoramos o seu futebol. Mas sabemos que, em todo o mundo, existe um (e só um) melhor. Muito mérito a ele, que continua a lutar diariamente para inverter isso. Nasceu com muito jeito, mas o outro, bom, o outro foi abençoado.


Aproveito para desejar rápidas pastilhas de Rennie e de Eno a quem destila veneno só porque acha inadmissível um português preferir, a nível de futebol, um tipo de outra nacionalidade.

Cristiano é Bola de Ouro, mas o Mcdonald's continua sem batidos

Parabéns Cristiano, foste o melhor de 2013. Mas isso não me demove da Luta.

É nos detalhes que este País se distingue dos outros. Nas coisas boas, como os bitoques, os tremoços, as bolas de ouro e os pastéis de nata. Mas também nas coisas más, como a ausência dos batidos.

Já lancei a famosa petição internacional que, apesar de ter sido ignorada pela Mcdonald's Portugal, foi amplamente divulgada na Moldávia.
Podia até baixar os braços, por ter a consciência de que fiz a minha parte. Mas não. Nem os leitores me deixam.
O caro LPPT fez questão de não deixar cair o tema e enviou fotografias de outro País que, depois de ver a Moldávia mobilizar-se, também se associou à causa e voltou com os batidos. Estados Unidos. Isso mesmo. Temos muita gente a trabalhar com o Simão Escuta na terra do tio Sam.



Cristiano, não terás a mesma visibilidade deste tasco, mas se queres retribuir o carinho dos Portugueses, faz alguma coisa pelo regresso do batido (de morango e baunilha) ao Mcdonald's em Portugal.

Se a Gala da Bola de Ouro fosse em Portugal

Visto no Twitter

Piada Farsola #63 - A magia do álcool

Um homem chega a um bar e vê um cesto cheio de dinheiro no canto. Nisto pergunta:
- Por que motivo está este cesto cheio de dinheiro?
Responde o barman:
- Bem, você paga €10 e, se passar por três testes, então terá todo o dinheiro do cesto.
- Quais são os testes?
- Primeiro pague. Esta é a regra.

O homem pagou ao barman os €10 e este colocou a nota no cesto, com as demais.
- Ok.
Aqui está o que tem de fazer:
- Primeiro: tem de beber esta garrafa de Aguardente, tudo de uma vez só e sem fazer nenhuma careta;
- Segundo: há um Pitbull lá fora, com um dente estragado, que lhe dói muito. Tem de arrancar o tal dente com as suas próprias mãos;
- Terceiro: há uma senhora de 90 anos, no segundo andar, que nunca teve um orgasmo na vida. Terá que fazer amor com ela e fazer com que ela finalmente o tenha.
- Não posso fazer tudo isso..é impossível!

Mas como o homem estava mesmo aflito de dinheiro, resolveu aceitar o jogo.

- Onde está a Aguardente?
O barman deu-lhe a garrafa.
O homem agarrou-a com as duas mãos e entornou-a inteira pela boca, sem fazer nenhuma careta, apesar das lágrimas escorrerem pela cara.
Depois, levantou-se com dificuldade, olhou para todos com cara de valente, e saiu do bar em direcção ao Pitbull. Todos ouviram os latidos do cão, os gritos do homem, uma confusão infernal, até que o Pitbull uivou longamente, por 3 minutos, e, de repente, um silêncio imenso pairou no ar.
Todos pensaram que o homem tinha morrido.

Repentinamente, ele entra no bar, todo arranhado, e pergunta:
- E agora, onde está a velha do dente estragado?!

Haja coragem: apresentou queixa por mulher não querer fazer sexo

"Um homem tem de fazer sexo de manhã e à noite", disse, à polícia, o habitante de Vila Nova de Gaia.
Se não tivesse maltratado a mulher, teria toda a razão. Assim, acabou preso.

Uma coisa é Jet-7, outra é Realeza

Não, não é Kim Kardashian.


É a Princesa da Arábia Saudita, Reem Al-Waleed bin Talal.

Cachorra desaparecida

Quem tiver informações, deve enviá-las para o email do tasco. O Autor depois encarrega-se de fazer chegá-las ao destinatário. Obrigado.

Fonte

"O melhor, o maior? Sou simplesmente um jogador da bola"

Também por isto, era diferente.


Natal e Dia de Reis cumpridos. Pai Natal no relax

Por Rodrigo Prazeres Saias, ilustrador do camano


Para terminar, e porque D'Eusébio tinha sentido de humor

"Eusébio com Pantaleão? DJ da treta..."

Visto no twitter. 

Grupo de viscondes doentes pelo seu clube prestam homenagem a D'Eusébio (vale a pena)

Este texto é do meu amigo Gordo. Tem uma tertúlia só de viscondes, onde debatem o seu clube e lutam por ele. E por isso são doentes, de forma positiva. Este é o texto que circulou por eles e que me foi gentilmente passado. E é por isto que o futebol e o desporto podem ser bonitos. E é pena, que nem todos tenham a capacidade intelectual para compreender a dimensão de certas pessoas.
Um beijo Gordo. Foste enorme (e não me refiro ao teu perímetro abdominal).


"Bom Dia,

Eusébio da Silva é considerado um dos 10 melhores jogadores que se conhecem neste planeta desde que existe futebol. Poderá ser discutível, mas o certo é que mesmo que não o fosse, estamos a falar de uma lenda, pelo simples facto de ter características únicas.

Este ‘rapaz’ nasceu dotado, de facto quando o apelidaram de pantera traduziram toda a sua essência, tal era a velocidade, capacidade atlética e faro para ‘matar’. Muitos golos, mesmo muitos, mas principalmente algo que o Simões ontem dizia, Eusébio dizia sempre que para vencer era preciso querer muito, e por isso tinha que se deixar a pele no campo.

Eusébio é moçambicano, português por consequência à data do seu nascimento, e também por isso, e eu já nasci no fim da ditadura, fez-me sempre pensar como é que alguém proveniente das colónias conseguiu ter uma dimensão mais do que nacional, internacional, e que durante muito tempo tenha sido uma das poucas bandeiras que nos faziam ser conhecidos no mundo com orgulho.

Eusébio era lampião, talvez um dos poucos casos em que se confunde a pessoa com o clube ou vice-versa. Ter esta dimensão e a forma como a conquistou, fazem deste jogador, o homem ímpar e que qualquer um de nós deve respeitar e senti-lo como um dos nossos, pois também com o emblema das quinas ele foi gigante e dono de proezas incríveis.

Chegou a hora dele, e a única congratulação é que este homem recebeu em vida todas as honras merecidas, foi sempre acarinhado pelos pares e mesmo por todos os adeptos do mundo.

Como é usual dizer nestes casos, you never walk alone Eusébio, as lendas perduram e jamais serás esquecido.

SL"

3 horas depois, Obrigado Rei

Ontem fiquei agarrado à televisão. Depois, coxo, fui ao Estádio uns minutos. Vim para casa. Continuei ligado. Dor de cabeça. Não consegui escrever. Cama.
Hoje fui ao hospital e segui para o Estádio, lá ao lado. Fiquei durante grandiosos 20 minutos onde vi uma homenagem bonita, original e profundamente comovente. E vim para casa. E fiquei ligado. Estou agora a relaxar. Não quero escrever, não consigo. Mas de hoje não pode passar. É dia do Rei.

Não me sinto bem a escrever. Porque, um pouco por todas as redes sociais, já todos disseram coisas lindíssimas sobre o Rei Eusébio. Na televisão, ouvi e aprendi novas histórias fantásticas, contadas por quem conviveu com ele. E ouvi ilustres, que têm o dom da palavra, fazerem-me corar de vergonha por vir aqui escrever. Mas faço isto por mim, porque é a minha forma de deixar a minha homenagem.

Tive oportunidade de, no alto dos meus 14 anos, encontrar Eusébio na Gala dos 50 anos do jornal A Bola. Dei umas palavras de circunstância e pedi um autógrafo. Infelizmente não tenho nenhuma história bonita para contar. Mas há já muitos, muitos anos, passei a chamá-lo de D'Eusébio (não por brincadeira, não para alguém reparar). Talvez tenha sido a minha forma de homenageá-lo em vida.

Não é um familiar. Não é um amigo. Mas foi alguém muito importante. Infelizmente nem todos compreendem a magnitude deste Senhor, do que ele fez por todos. Nem todos compreendem que desporto também é forma de cultura. Que, no desporto, podemos encontrar as mais ricas formas de sentimentos e valores que existem na vida. Nem todos compreendem que hoje, mesmo que desapegadamente se proclamem benfiquistas, em muito se deve a Eusébio e seus colegas intemporais. Mas felizmente eu percebi. E por isso eu li, ouvi e vi muita coisa. E deixei-me contagiar pelo que se passou dentro e fora de campo.


É que a vida, sem estas coisas que nos fazem vibrar, é insípida. É que a vida, com lendas como esta, tem mais cor, tem mais sabor.
Eusébio não era apenas futebolista. Era um artista. Era um pintor. E como tal, pintou, ainda antes de eu nascer, a tela onde eu e muitos benfiquistas cresceram. E sou-lhe grato por isso.

Mas importa dizer que Eusébio não era apenas benfiquista. Era moçambicano e português. E era, realmente, de todos nós. E se não merece o Panteão, quem vai merecer? Quanto aos custos, haja vergonha. De qualquer forma, fico na dúvida se Eusébio, herói do povo, não deva permanecer junto dele. O Estádio seria hipótese?
Acerca das declarações infelizes sobre a suposta pouca cultura dele, digo apenas que não foi pelos homens menos cultos que chegámos ao estado em que o País se encontra. Se a classe política defendesse o País com o amor e profissionalismo com que Eusébio o fez, Portugal era um local melhor.

Não posso esquecer o que fez Óscar Cardozo. Nunca me esquecerei. Ainda no Estádio, esta manhã, passou a barreira de segurança e foi-se despedir pessoalmente do Rei. Pediu para lhe levantarem o véu e rezou. E depois despediu-se. À tarde, saiu do seu lugar assim que o carro funerário chegou ao cemitério. Saiu do seu lugar e, sob o temporal que se abatia em Lisboa, caminhou até Eusébio e veio junto a ele. Senti-me arrepiado. Não posso confirmar, mas é possível que Jorge Jesus estivesse no lado contrário a fazer o mesmo.

Demorei quase 3 horas a escrever este texto. Tempo suficiente para Eusébio fazer uma mão cheia de golos lá por cima.

Demorei quase 3 horas a escrever este texto. Tempo suficiente para partir outro ídolo, outro alguém importante. Porque todos os dias morre uma pessoa importante para alguém.

A Lenda, essa, é eterna.

Viva Eusébio! Viva o Benfica! Viva Portugal!

Há um Dexter dentro de mim

Quando nasci, em 1982, o meu Pai Coronel, para além da evidente alegria, reparou que eu poderia não ser exactamente uma criança normal. 
A dúvida e a desconfiança devem-se ter prolongado durante os primeiros tempos de vida. Terá sido então, já na altura do seu proeminente bigode, que o Coronel confirmou, entre banhos, o tamanho do meu potencial.

Quem conhece a série Dexter, sabe que o actor principal tem uma "característica" que o torna num assassino. Como tal, e por saber que não podia mudar isso, o seu pai deu-lhe um código, de forma a matar apenas os maus da fita.
Já o Coronel, ao aperceber-se do Menir com o qual nasci, decidiu também dar-me um código. Antes da puberdade, deu-me O código.

Desde aí, uso o Menir para espalhar o bem. Para dar alegria, felicidade. Para consertar o sexo mau, normal, bom e muito bom das mulheres (essencialmente das portuguesas, mas apenas fruto da posição geodésica do monumento). "O muito bom?! Se é muito bom já chega!". Por favor... até o "muito bom, espectacular e melhor de sempre" existe para ser batido.

O Serviço Público aqui prestado não é coincidência, é apenas algo que carrego comigo constantemente. De forma sempre altruísta.

O ano começou há pouco, mas julgo que esta é a grande notícia de 2014. É um peso que tiro de cima. E um peso que lhes tiro, qual vaivém da NASA.


Simão Escuta: por um mundo melhor. E mais sexy.

A Leitora mostra-se #13 - Por um bom 2014

Nada melhor que desejar um bom ano com a melhor rubrica da blogosfera.

Chegou tarde mas chegou. A (uma das) leitora premiada, num momento de grande altruísmo (a tentar equiparar-se ao Autor), enviou a prova de que o chocolate belga chegou ao destino. E que destino...


Tivesse o INEM este tipo de assistência e mais vidas se salvariam. De repente, foi o que me passou pela cabeça. Ou gostava que passasse. Quer dizer, não era a parte do INEM. Bom, adiante.

Estão ainda dois chocolates por atribuir. Seria lamentável que não fossem entregues. 
Julgo que os leitores com namorada, os leitores com amigas, e por fim, as próprias das leitoras, deviam pensar bem na quantidade de Serviço Público que o Autor já fez por todos vocês. E em troca, o que recebe? Nada. Zero. Nem cliques na publicidade.
Vamos portanto deitar as mãozinhas ao céu e agradecer esta dádiva que é o Simão Escuta. E contribuir para a causa "Enviem fotografias sexys ou isto fecha".

Bom ano.