Entretanto em Hollywood

Roubado ao meio-irmão

110 anos reais, sem aldrabices na data de fundação. 110 anos de muita História, glória e dor. Que venham mais 110, sempre com o Simão Escuta ao lado. Obrigado!

Senhor Coluna

Descanse em paz.


Talvez a segunda figura do Benfica. Eterno Capitão e Bi-campeão europeu. Um exemplo. Um dos 100 melhores jogadores da História.
Depois deste início de 2014 madrasto para o Benfica e Selecção Portuguesa, espero:
- 33º campeonato "dedicado" a D'Eusébio e Senhor Coluna;
- Fumos negros durante o Mundial do Brasil.

E obrigado.

Pressão



Kiev está mau? Esperem para ver aqui os vizinhos

Aliás, ninguém me tira da cabeça que os confrontos de Kiev começaram no 3º Esquerdo. 

São um casal amoroso. Sim, amoroso, com tudo o que isso significa. Juntos há muitos anos, num verdadeiro conto de fadas. Os pombinhos, na casa dos 55-60 anos, parecem crianças de borboletas na barriga.
Em média, a cada 5 noites, 3 são passadas em animada cavaqueira. Calculo que seja uma forma inteligente de combater a monotonia da relação. E acaba também por ser óptimo para a bricolage, na medida em que devem ser necessários vários arranjos lá por casa, entre portas e paredes.

Podia contar daquela vez em que a mulher, ou, neste caso, a esposa (assenta-lhe bem), atirou coisas pela janela. No meio da confusão, foi um tapete bom e caro. No dia seguinte, já em paz, resolveram ir buscar os tarecos à rua, mas nada de tapete. A esposa ficou muito indignada. Também eu. Estava a contar que um dos vizinhos porcos deixasse o seu cão fazer uma poia no tapete. Infelizmente o tapete desapareceu mesmo.

Ou hoje, quando o banana saiu porta fora a gritar impropérios contra a esposa. Impropérios esses que, ao pé dos dela, são coisa de pré-primária. Aliás, este homem é a personificação do homem banana. É insultado, de alto a baixo, com o pior que se pode imaginar. É envergonhado. É manipulado. E deve levar na tromba.

Melhor de tudo? É um prédio normal, porreiro, onde só eles destoam. Mas animam.

Melhor de tudo até ao infinito? Algum deles, ou o filho ridículo dela, tenham conhecimento deste artigo. Na remota hipótese, um grande abraço para vocês. Que me façam continuar a rir.

Atenção às gorjetas

Porque quando as pedirem assim, deviam dar uma boa recompensa.


Boa gorjeta também para quem substituir "Twilight" por "50 shades of Grey".


A caminho da Coreia do Norte


E é deixar cá uma bomba.

Se ficares Calado, não nos deixas com o Melão

O mestre da táctica está a um pequeno passo de voltar a ser campeão pelo Benfica. Sim, faltam um monte de jornadas, mas quando se tem estabilidade, o melhor plantel, mais pontos e ainda assim os rivais se apresentam com um nível mediano, só não somos campeões se não quisermos.
Mas é bom que esteja presente, na memória de todos, a hecatombe que foi a participação nas competições europeias deste ano. E é bom que também esteja presente o final da época passada, com dois títulos desperdiçados e uma final perdida. 

Por outro lado, o que já não devia estar presente, é a bazófia do nosso amigo Jorge.
Hoje disse que ninguém apaga a grande época que fez o ano passado. Não sei se é por ser visconde na sua génese, mas o Benfica não é clube para ficar satisfeito com títulos perdidos, quer seja no início ou no fim. Especialmente quando os deitamos borda fora, tal como se fossem um pedaço de courgette que caiu no prato.

Por isso Jorge, e eu sei que tu me lês, 4 milhões ao ano deviam dar para mais do que deram até hoje. Nós acreditamos e apoiamos, mas vê lá se deixas de fazer comentários inapropriados.

Acredito que, em Maio de 2015, estejamos a festejar o 34º.


Rebenta a bolha: não devia ter contado

A prova que faltava, roubada ao meio irmão Cabelo do Aimar:



Piada Farsola #64 - No manicómio

Estão três tipos num manicómio. Nisto, o primeiro deles começa a imitar o som de uma mota:
- Baaaaaaaaaaahhhhhhhhh, Baaaaaaaaaahhhhhhhhh, Baaaahhhhhm, Baaaahhhhh.
O segundo começa a ficar notoriamente incomodado e o terceiro pergunta-lhe:
- O barulho incomoda-te, não é?
- Nem é tanto o barulho, é mais o fumo.

Palavras sábias de um calimero

Nota da Redacção: isto não é invenção, é verdade e notícia em todos os jornais. Não queria malhar neles, mas não há volta a dar, só nos dão pérolas.

Daniel Carriço, outrora jogador da Agremiação do Barcelona do Campo Grande (também conhecido por Sporting de Lisboa), desabafou à comunicação social espanhola aquilo que considera ser a diferença entre um clube grande e um pequeno.
Excluindo a parte calimera da coisa (uma mentira não se torna verdade só por insistência), Carriço põe o dedo na ferida e assume: o Sporting de Lisboa não é um dos grandes.


Em relação às supostas más arbitragens no seu actual clube espanhol, Carriço diz, e passo a citar, "Já estava habituado desde que joguei no Sporting, o mesmo sucede no Sevilha. As equipas grandes são sempre as mais beneficiadas". 

E é isto.

Exercício matinal para a leitora

O Autor orgulha-se de defender uma vida saudável para todos. 
Se no duche já não utiliza parabenos, a nível desportivo está ainda um pouco atrasado, fruto da sua lesão. Sendo assim, e não podendo realizar exercício, pelo menos ocupa-se visualizando técnicas de bem-estar. Neste caso, tem a palavra a leitora.

Bom dia:


O dérbi visto pelos viscondes





D. Elvira comenta o dérbi


Rescaldo do dérbi feito por todos nós

  • Só soube que o Benfica marcou golo porque o Sporting emitiu um comunicado.
  • Bruno de Carvalho está neste momento no relvado da Luz a apanhar os pedaços da equipa do Sporting.
  • O Sporting acaba de emitir um comunicado para dizer que não tem nada a comunicar.
  • A Martifer devia fazer uma vistoria ao Sporting. Esta equipa é muito insegura, não é estável.
  • Todo o alarido à volta do Estádio da Luz foi desnecessário, até porque jogos treino destes fazem-se é no centro de estágios.
  • O Bruno de Carvalho já disse de quem foi a culpa? Sim, foi do Paulinho. Não conseguiu lavar as peúgas da sorte a tempo.
  • Resultado ainda não foi homologado. Sporting arrisca passar de 2 para 3-0 por falta de comparência.
  • Também foi a Martifer a construir os sonhos dos sportinguistas? Que vergonha, estão feitos em cacos.
  • Boa exibição do Benfica, mas quando chegarem os grandes jogos é que eu quero ver.
  • Solicita-se vistoria independente à coluna do Dier.
  • Os adeptos do Sporting que foram de capacete, já os atiraram? É que agora não cabem lá dentro.
  • Os lagartos ainda tiveram que levar com os comentários do Calado. Grande melão.
  • A Via Verde foi inventada porque o Sporting não tinha título para apresentar.
  • Apesar dos viscondes terem vindo de colete reflector, não conseguiram evitar o atropelo.


E fica uma menção honrosa para o número de stand-up comedy que o Sporting de Lisboa fez no seu sítio oficial. Algumas pérolas:
  • "Desvantagem injusta para o Sporting e Leonardo Jardim voltou a mexer: entrou Carlos Mané, saiu Slimani."
  • "O Benfica parecia querer segurar o resultado e, na própria casa, foi assobiado pelos adeptos – aqueles que só se ouvem nestes momentos ou nos golos."
  • "Foi perigoso, mas não furou a rede «encarnada» por muito, muito, pouco."
  • "Os «encarnados» respondiam, mas a defesa, mais compacta, aliava a meio-campo.Sinal mais para os «leões» em todas as zonas do terreno."


Às vezes dá vontade

Já sentiram vontade de chamar alguém à razão? Mesmo que fossem os supostos detentores da razão? Pois bem, está aqui um belo exemplo. 
Podia ser aplicado aos responsáveis (Benfica/Martifer) pela manutenção do estádio da Luz:


Fábio Porchat: o maior.

Jogo adiado devido ao temporal: a verdade que ninguém fala (mas eu vou chamar os bois pelos nomes)

Tive malta no estádio. E vou relatar a verdade dos factos, conforme me foram passados em directo. Porque os nossos lugares são por baixo da zona onde tudo começou.

Às 17:50 ouviu-se ruído intenso na cobertura, onde se começou a soltar a tal lã de vidro. Todos viam a lã a voar pelo estádio, mas, olhando para cima, viam-se as placas de metal (ou lá o que aquilo é) a levantarem constantemente. Ou seja, era uma questão de minutos até alguma se desprender por completo (e depois da primeira, as outras saem com mais facilidade) e cair. Só não se sabia se caía para fora ou para dentro do Estádio.

Com início marcado para as 18:00, não houve nenhuma mensagem ao público, a justificar o atraso. Mesmo não sabendo ainda se existiam ou não condições para a realização do jogo, o mínimo que têm a fazer é informar o que se passa. E a mensagem não chegou até aí às 18:35.

Estando numa das zonas de perigo, resolveram sair mais cedo, enquanto ainda se avaliava se existiam condições para realizar o jogo. À saída, a polícia e os stewards ainda disseram: se sair depois já não volta a entrar para ver o jogo. Isto é de valor.

Entretanto aconteceu isto (atenção aos 0:50 e aos 1:45):


A comunicação social não questiona nada. Mas eu questiono. Por isso vou chamar os bois pelos nomes.

Faz-se passar a mensagem que se salvaram vidas. Que actuaram todos muito bem. Pois, podemos ver as coisas assim, visto que as placas caíram 7 minutos depois da evacuação.
Já eu, gostava de saber como é possível que, às 17:50 estejam a levantar placas e às 18:35 tenha sido tomada a decisão.
Não há ninguém que assuma responsabilidades? Ninguém é chamado à razão?
Foram foi todos (os decisores) uma cambada de sortudos, pelas placas terem caído logo a seguir à evacuação. Demoraram 40 minutos a decidir! Cambada de filhos da puta!

E já agora, se pessoas estão em perigo, se a entrada dos adeptos viscondes foi feita com benfiquistas já no recinto, porque é que, numa emergência, a polícia não faz a caixa de segurança e os retira também em tempo útil? Se as coisas tivessem sido piores, o que se fazia? Ficavam os viscondes sem cabeça?

Mais, há um ano aconteceu algo parecido num jogo da equipa B, quando jogava na Luz. Portanto...que medidas foram tomadas? Se foram tomadas, parece que não resultaram.

Haja vergonha.

Jogo adiado devido ao temporal: a parte cómica

"Não é por acaso que aquela zona se chama Alto dos Moinhos. Era construir um parque eólico aí e ter um estádio auto-sustentável. Vendíamos o nome aos chineses por uns milhões por época: Estádio EDP Renováveis."

(a seguir vem a parte que não queria escrever)

O Polvo que já não o é

Parece que Fernando, o Polvo, renovou contrato com a agremiação assumidamente corrupta.
Lanço um desafio: adivinhar qual foi o motivo que levou um jogador, a 5 meses de se tornar livre de escolher o próximo clube, de receber um prémio de assinatura absolutamente estrondoso e um ordenado bastante melhor, ter renovado contrato num clube onde (infelizmente) já ganhou tudo o que tinha para ganhar.

Opções:
- Teve receio de se lesionar fora dos relvados;
- Como português de gema que é (até há uns meses dizia que Portugal jamais, era brasileiro), está a ver se se safa para fazer o Mundial com a camisola do escrete das quinas que tanto ama;
- Ambas as anteriores.

Parece-me é que o Polvo, o outro, aquele que controla o futebol português, está a perder fulgor. É o polvo que já não o é.
Por esta altura, já todos sabemos que Pinto da Costa ordenou o afastamento de Fernando até que a situação se resolvesse, não havia lesão nenhuma. É compreensível, é uma forma de gestão que acaba por ser normal (infelizmente, mas é transversal a quase todos os clubes).

Se julgam que o marido da Fernanda ganhou a batalha, diria que estão enganados. Ou só assim-assim enganados, pronto.
Claramente percebemos que Jorge Nuno também teve de ceder, em virtude da importância que o jogador tem nesta - na minha opinião - não tão forte equipa portista (alô, Jorge, és o único com uma super equipa neste campeonato, já devias ter mais 5 pontos do que tens agora - pelo menos). Noutro tempo Fernando seria mesmo afastado e acabava por sair a custo zero, como acontece recorrentemente pela Europa fora.
Assim, a situação ficou remediada: fica até final da época e depois sai. Mas em que condições? Metade do passe ficou do jogador para poder ser recompensado mais tarde? Vão usar dinheiro do monopólio? 

Mas era giro algum jornalista com eles no sítio, perguntar "Fernando, o que é que faz alguém no seu lugar renovar contrato? Já parece o Falcao, que duas semanas depois de ter dito que queria sair do clube, renovou contrato aumentando a cláusula e mesmo assim compraram-no dias depois, quando o podiam ter feito por menos 10 ou 15 milhões. Mas deixe lá o Falcao, fale-nos de si. Gosta muito do Douro, é isso?".
Quer dizer, depois o Fernando podia responder "Boa pergunta, mas porque é que não vai ter com Luís Filipe Vieira e perguntar-lhe como é que foi mesmo aquele negócio do Roberto/Pizzi e do Rodrigo/André Gomes?". E aí o jornalista tinha de pedir para sair...

A verdade é que Fernando deu a entender, por diversas vezes, que queria sair. E por isso mesmo nunca tinha renovado contrato. Que mudou agora? 
De qualquer forma, os portistas devem estar bastantes satisfeitos com esta solução. E é caso para isso, Fernando é belíssimo jogador. 

Que role a bola dentro do relvado, que é o que queremos.


PS: Jorge, eu sei que me lês. E sei que este artigo é sobre o Polvo, mas deixo só aqui uma palavra de incentivo: estás a jogar este campeonato contra ti mesmo. Tens de decidir quem é que ganha. 

Piada Farsola #63 - Razão de viver

O pai pergunta ao filho de dez anos se ele sabe como são feitos os bebés:
- Não quero saber! Promete-me que nunca me vais contar!
Confuso, o pai pergunta porque é que o filho não quer saber. Este, não contendo as lágrimas diz:
- Quando eu tinha 6 anos, contaram-me que não havia Coelho da Páscoa; Aos 7 descobri que não existia a Fada Madrinha. Aos 8 contaram-me que o Pai Natal és tu. Se eu descobrir que os adultos também não fazem sexo, não tenho razões para viver!

Fazer felácio não é pecado, se a mulher pensar em Jesus

Já sabiam desta ou é mais uma notícia esquentada? Adiante. O que importa é que o Arcebispo Martinez (Granada, Espanha) diz no seu livro, e passo a citar, "Mulher, farás felácios ao teu marido sempre que ele te peça. Mas quando o fizeres, pensa em Jesus. Lembra-te, não és uma pervertida!". A notícia está aqui

Estamos a efectuar todas as diligências para trazer o Arcebispo para Portugal. O objectivo é o livro ser publicado cá, ao mesmo tempo que avançaremos com uma entrevista exclusiva.

Para já, enviamos um grande abraço ao Martinez das Mamadas. É quase um braço armado do Simão Escuta em Espanha.

Quando for eleito qualquer coisa, cada português terá direito a, pelo menos, um felácio por dia.

Recordar é viver: testes no secundário/faculdade (versão feminina)

Um dos grandes flagelos dos tempos modernos são os testes e os exames no secundário e, principalmente, na faculdade. Mas calma, não é por serem difíceis, porque dificuldades há muitas na vida. 
O que vos trago hoje é a recordação que tenho de estar na faculdade a fazer exames, ou melhor, de sair da sala e estar a discutir com os colegas as perguntas/respostas e, mais importante, o célebre "como correu, safas-te?".

Um homem - daqueles a sério - sai do exame e, 95% das vezes sabe o que fez. A nota pode variar, claro, mas o homem - daqueles a sério - já tem noção da borrada que fez (ou não).
Basicamente um homem - daqueles a sério - tem uma escala intrínseca:
- vou chumbar - < 8;
- não sei se vai dar, vamos ver - > 8 e < 13;
- está safo - > 12 e < 16;
- vem aí notão - > 15 até 20.
E daqui não falha. E não faz escândalos. Sai do exame e consegue dizer, com um mínimo de clareza, se realmente correu mal, assim-assim ou bem. 

Já no caso de 95% das mulheres, saem do exame e dizem:
- Ai não sei...correu mal, não sei, aquela 3.4 tinha rasteira, nem sei se passo! Estive a estudar tanto para isto...fiquei 2 semanas sem fazer sexo oral ao meu parceiro, e mesmo assim nem sei se passo. Não falem comigo, estou irritada!

Um caso que poderia ser real é o seguinte: a Maria sai do exame e diz "olha eu nem sei se passo", enquanto o Manel diz "pois, nem eu". Ou seja, parece que estão os dois no fio da navalha.

Passados uns dias, o Professor divulga as notas. O que acontece? Exacto: o Manel chumbou com 8 e a rameira da Maria passou com 17 e melhor nota da turma.

Mulheres.

Facebook: o refugo das mulheres, o refúgio dos homens? Ou vice-versa? (Comentário elevado a post #19)

Não sei, já lá vamos, mas sem dúvida que este título fica bem melhor que o "Comentário elevado a post" que lhe é devido. Devido ao seu potencial, fica como artigo "independente". O comentário abaixo é cortesia do leitor rui, que desabafou neste artigo.


"Eu já tenho (Facebook) á cerca de 4 anos,já teve muito mais piada do que tem hoje,além disso como sou solteiro e bom rapaz,em tempos ainda conheci uma ou outra gaja através disso,assim como tambem conheci boa gente e um ou outro amigo.

Por outro lado, é uma grande merda,á custa disso as mulheres hoje em dia são muito mais convencidas,sabem que qualquer coisa tem sempre ali um refugio..tem sempre alguem que as quer montar se é que me faço entender"



Caro rui (com minúscula porque é assim o teu nick), fizeste-te entender, claro. Até porque a nível de montagens, sou muito dado à bricolage.

Uma das sensações que tenho é que a famosa rede social é (muito) utilizada para engates. Feliz e/ou infelizmente, acaba por ser uma montra ao estilo de Amesterdão: homens e mulheres conseguem, na maior parte das vezes, dar um olho ao catálogo e ver se agrada. 
Mas catalogar assim o Facebook é injusto. Primeiro, porque há muito mais para além disso, tal como disseste. Existe "boa gente e um ou outro amigo" que se conhece por lá. OK, pode calhar uma gostosona no colo de vez em quando, mas isso é só um extra, não é o principal. Ou quero eu imaginar que não é o principal.

Hoje em dia, com as políticas e possibilidades de privacidade, julgo ser viável impedir que um estranho saiba quem somos. Isso já é de valor. Porque na essência, diria que só faz sentido chegarmos a alguém através de amigos, e não como "catálogo". 
Até porque o Facebook tem muita coisa boa, especialmente para quem está longe de família e amigos. Pessoalmente não gosto, e não tenho conta, mas compreendo. Acho é que se vive melhor sem ele. 

Tal como o local de trabalho é (normalmente) aquilo que fazemos dele, também o Facebook o é. Com os jogos (já se podem esconder, certo?), as frases ridículas dirigidas a alguém de forma indirecta, os desabafos da vida amorosa, as fotografias a vender o corpo, etc.. É basicamente por isso que não tenho paciência e não uso. E talvez faça mal, porque teria muito material para pegar e escrever aqui. Adoro gente ridícula.

Bom, rui, nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Julgo que não estavas a generalizar, acredito (espero) que a tua descrição seja a de uma minoria. De qualquer forma, espero que o teu comentário venha incendiar aqui um belo rastilho para nos entretermos todos um bom bocado.

Tem a palavra o leitor: o Facebook (também) é um refugo e um refúgio para homens e mulheres?