Tatuagens: a razão da dor, com zoom e slow motion

Quem já fez uma tatuagem tem ideia do que acontece no corpo. Mas, provavelmente, não sabe exactamente como funciona a máquina de tatuar nem como ela entra na pele. Uns dizem que dói mais, outros que nem tanto. Estará também relacionado com a zona do corpo que se vai trabalhar.

Mas nós, no Simão Escuta, não queremos que as coisas fiquem no ar. Dói? OK. Mas porquê? Vamos ver, em cima do acontecimento e em super slow motion (vale a pena):



A pergunta que deixo e realmente importa é: quem é que faz o melhor polvo à lagareiro? Os que têm tatuagens ou os que não têm?

Piada Farsola #70 - um iPhone novo

A mulher chega perto do marido e sussurra-lhe ao ouvido:
- Amorzinho... podes comprar-me o novo iPhone?
Diz o marido:
- Então e o outro?
Responde a mulher:
- Já me deu um tablet.

Exclusivo: Simão Escuta apresenta galã Enrique Iglesias a cantar Benfica

Este tasco não pára!
Conseguimos um exclusivo inédito a nível mundial. O próprio do Enrique Iglesias a cantar em português e sobre o Benfica.
As más línguas vão dizer que não é o Enrique e apenas um sósia. Mas enfim, já estamos habituados a que tentem denegrir o Maior.

Atentem no refrão. Se não arrepiar, mais vale deixarem de ouvir música.

Quero jogar contigo!
Marcar contigo!
Vibrar contigo!
E ter contigo!
Uma vitória loucaaa
Grito de boca em bocaaa

Quero sonhar contigo!
Chorar contigo!
Festejar contigo!
Gritar contigo!
Até a voz ficar rouca

ÓoooÓoooÓ, ÓoooÓoooÓ, ÓoooÓoooÓ


A obra de arte:




Obrigado ao artista Júlio Panão, melhor que o verdadeiro Enrique. Um respect muito sério a este senhor. 

Movimento "Empina a anca pela Saúde do Homem"

A leitora sugere o artigo, o Autor escreve.

Reduzir risco de cancro da próstata? É fazer sexo com mais de 20 mulheres. É isso mesmo.

Em mais uma rubrica de Serviço Púbico Público, vimos agora ajudar o leitor a reduzir as suas hipóteses de ter cancro da próstata. 
Segundo um estudo da Universidade de Montreal (Canadá), homem que fizer sexo com mais de 20 mulheres diferentes reduz em cerca de 28% as probabilidades de ter esta terrível maleita. E não, não é fazer mais de 20 vezes na vida com a mesma mulher, é mesmo com mulheres diferentes.

Desta forma, o Simão Escuta vem criar o Movimento "Empina a anca pela Saúde do Homem". Todas as leitoras estão convidadas a participarem no evento que vai decorrer amanhã, pelas 19:30, junto à entrada do metro da baixa de Serapilheira da Serra (a 2 minutos a pé da casa do Autor - por cima deste tasco, claro).

O evento vai ser filmado para posteriores campanhas de publicidade e sensibilização.


Simão Escuta: por um mundo melhor. E com mais sexo.

Volta ao mundo em 80 pêgas

Estou a ficar cansado de dar, dar, dar e dar e pouco receber. Hoje trago o truque para viajarem sem pagar, de borla, grátis. Amanhã será outra coisa qualquer. E para mim, não há nada? Enfim, provavelmente vou ter que abrir uma conta no Paypal para me começarem a fazer depósitos. Calma, não é para mim.
É para depois poder ofertar a miúdas para fazer regressar a melhor rubrica do mundo, A Leitora Mostra-se. Adiante.

Querem viajar pelo mundo sem pagar? Fácil. A chinesa Ju Peng, de 19 anos, colocou um anúncio numa rede social chinesa onde diz algo como “procuro namorados temporários, que tenham boa aparência, menos de 30 anos, com altura de mais de 1,75m, e, é claro, com dinheiro.”.
O objectivo é que os namorados temporários paguem as deslocações entre cidades e todos os gastos enquanto ela estiver com eles. Às críticas de que se mexe como uma prostituta, Ju responde que é apenas uma forma de viajar, sendo até semelhante a pedir boleia.
 
Fonte: Daily Mail
Não lhe cortem as pernas. Uma mulher com visão merece concretizar os seus sonhos. Ainda para mais quando é alguém com tanto para dar.


Fica a ideia para os nossos leitores. Eu próprio já estou a programar a minha volta ao mundo em 80 pêgas dias. 

Disto dos blogues e de pedirem para "seguir"

De vez em quando recebemos emails (ou mensagens no Facenice do tasco) a pedirem divulgação do blogue X ou Y. Calculo que deva ser coisa que já aconteceu a muitos dos que têm blogues.
Por muito básico que o email seja, dou sempre uma vista de olhos. Se alguém se lembrou de mim, merece que retribua com o mínimo, que normalmente ver o que me estão a enviar.

Existem pedidos e pedidos. Uns mais simpáticos que outros. Não atendo ao pedido de “adiciona-me à tua lista de blogues e eu adiciono-te”. Isto não é assim. Eu adiciono se gostar, se achar que tem algum motivo especial para tal. De resto, se “simplesmente” gostar, posso é seguir a título pessoal. E ambas as situações já aconteceram.

Mas basicamente, os emails/pedidos são os seguintes:
- apresento-te o meu blogue (sem pedidos, o que é raro);
- adiciona-me que eu adiciono-te;
- apresento-te o meu blogue, já te adicionei, se quiseres/puderes, adiciona-me também.

E agora, a nova versão, mais ousada:
- apresento-te o meu blogue, quero estar na tua lista, apesar de tu não estares na minha.


Vá lá malta, esforcem-se um pouco mais
.

"Hospedeiras" e Comissários de bordo: Toda a verdade

Ou só mais ou menos.
Mas já lá vamos. Primeiro há que educar o leitor. Não confundir:
- Hospedeiras são daqui e são aquelas miúdas (normalmente) giras que estão nos eventos a receber convidados ou simplesmente a embelezar a coisa;
- “Assistentes de bordo” são as hospedeiras que afinal não o são, ou seja, são as miúdas (só às vezes giras) que trabalham no avião. E não estou a falar daquele avião que, há uns anos, foi pelos ares na 2ª Circular e que era casa da especialidade.

Antes de seguirmos, devo dizer que acho muita graça (ou só ridículo) que as mulheres sejam “assistentes de bordo” e os homens “comissários de bordo”. Mas os homens não podiam ser, também, assistentes de bordo? Não é isso que são? Comissário? Um dicionário para a mesa do canto por favor.
É que pela nomenclatura, parece que uns são mais que os outros.

Ora bem, através da Chiado Magazine tive conhecimento de um artigo na Mashable que fala sobre segredos de assistentes de bordo e de pilotos. Tudo sob anonimato.
Estes “desabafos” são feitos através de uma aplicação móvel que parece estar na moda, que é a Whisper (aqui para Android e aqui para iOS – serviço público ou quê?) e que permite juntar a uma imagem, uma revelação, um segredo, o que quiserem. Imagino que a cusquice que existe em cada um de nós (mais em vocês) leve à utilização/leitura do que por lá aparece.

Mas vamos aos podres!



“Os meus pais disseram-me que ser assistente de bordo não era um emprego a sério. Enquanto eles estão em casa nos seus empregos a sério, eu tenho paisagens destas no meu trabalho da treta.
“Tiro fotografias dos passageiros adormecidos no avião. Sobretudo de boca aberta. Sou uma assistente de bordo.”
“Odeio para c… todos os passageiros. Beijos, a tua assistente de bordo.”
“Sou piloto mas tenho medo das alturas.”
“Sou assistente de bordo. Adoro conhecer pilotos e homens de negócios sexy. Nunca me canso!”
“Sou assistente de bordo e já tive rapidinhas na casa de banho do avião.”
“Sou piloto e já adormeci durante o voo.”
“Nunca desligo o meu telemóvel durante a descolagem e a aterragem. Sou piloto.”
“Sou piloto. A história das interferências dos telemóveis nos sistemas do avião é um monte de tretas.”
“Sou assistente de bordo. Se houvesse uma emergência, saía do avião primeiro. Os outros que se safem. Espero que tenham visto o vídeo de demonstração de segurança!”
“Sou comissário de bordo e certo dia envolvi-me com um passageiro. Quando o levei de volta ao seu lugar, a sua mulher pediu-me um refill… Ops.”


Escândalo!

“Cambada! Era apanhá-los a todos! Tudo farinha do mesmo saco! Eu sempre soube que as hospedeiras são umas ordinárias!”
Calma, Anónimo… Respira. Sou amigo da mais gira da TAP e da mais gira da EasyJet e asseguro que nenhuma delas corresponde a estas descrições. Maus profissionais existem em todo o lado. E badalhocas também. E tirando um ou outro exemplo, estamos mais a falar de diversão que outra coisa.


Agora que os ânimos estão incendiados, espero que me venham insultar. Ou dar um abraço, vá.

Separação de lixo, aka Engenharia Aeroespacial

Hoje decidi partilhar um pouco mais de mim com o prezado leitor. E é por isso que vou falar do meu local de trabalho.
Ora bem, eu trabalho... numa empresa. É isso. Pronto, já disse.

Na empresa onde trabalho existem muitas pessoas, com muitas valências, de várias áreas, de área nenhuma. O normal. O que não é normal é estarmos a precisar de formação em engenharia aeroespacial. É que esta parece-me ser a derradeira hipótese para se conseguir fazer a correcta separação do lixo.

Como é possível existirem recipientes de cores diferentes (com legenda!) e publicidade fixa e móvel sobre a correcta separação do lixo e o problema persistir? Como? Porque é que o Gervásio não vem cá ensinar a malta? Fica a ideia.


Improvio Armandi. Quem?!

Sexta-feira foi um dia bom no (meu) PSI20. Queria comemorar. Dei conta de um maço de cigarros, um charuto, dois gins. Não satisfeito, ainda bebi meio cocktail de fruta, sem álcool. Tudo isto em hora e pouco. Peguei no comando da box e rebobinei a emissão do Goucha. Mas faltava qualquer coisa. E efectivamente faltava. Tinha-me esquecido de vestir os boxers e só percebi isso quando vi a vizinha da frente, a boa do 3º andar, a dizer-me adeus com muita alegria.
Pego no jornal, abro as páginas centrais à procura de uma Jessica (com ou sem Athayde) mas o que encontro são os Improvio Armandi. Im-quê? Serão vendedores de “réplicas” de camisas, ali para os lados da Feira de Carcavelos? Não. Afinal parece que fazem teatro, ou lá o que é isso.
Vesti as calças e fui ver o que era.

Entro no Auditório Carlos Paredes (Benfica) mascarado de Zé Cabra. Já estavam muitos paparazzi à porta. O espectáculo começava às 21:45 mas atrasou uns minutos, o que me deu tempo para preencher o papel que me pediram (uma frase que me viesse à cabeça) e investigar quem eram os Improvio Armandi. Cinco rapazes que prometem teatro de improviso. O objectivo é o público interagir directamente com eles, dando inputs para uma longa-metragem de completo improviso e humor.

Enquanto acendo outro charuto, vou relatar-vos como é que se desenrola uma noite com os Improvio Armandi.

Ao entrar na sala, os papéis são depositados num cesto. O espectáculo começa e é-nos explicado que vamos assistir a um filme, escolhido por nós. O apresentador/narrador pede aleatoriamente a alguns elementos do público para escolher um local, um objecto e um género de filme (este sorteado entre 6 opções). E com isto ficamos com dois trailers (o que dá nome à peça: Trailer) que vão ser apresentados de seguida, sem pausas, em completo improviso. No final, o público, através das palmas, decide qual dos dois filmes quer ver por inteiro. Depois, pelo meio do filme, os actores vão utilizando as frases do público, também de forma aleatória, o que nos traz momentos surreais.

Bom, mas no meu caso ganhou claramente a pior opção. A corrida de karts com Jack, o super-herói que foi trespassado por um guarda-chuva e ficou com super poderes, era melhor trailer. Mas no outro falaram em “nudismo”, e o povo foi logo atrás.
O filme vencedor:

Momento em que a Mãe Natureza apareceu a flutuar no sonho do lenhador Jack

Seja como for, não tive a Jessica mas tive uma noite muito divertida, diferente, original e mais um ou outro adjectivo que agora não me ocorrem.
Improviso é realmente difícil, mas eles conseguiram sair por cima com alguns momentos de muito humor.

Este artigo não é patrocinado, mas eu recomendo na mesma.

Podem ler mais sobre eles aqui.

Vou fumar mais um.

Piada Farsola #69 - Abono de família

Um homem, casado e com 4 filhos, estava a ver o telejornal quando repara que o Governo anunciou que as famílias que tivessem 5 ou mais filhos teriam € 15000/mês de ajuda (abono de família) para sustentar a família. 
O homem disse à sua mulher imediatamente: "mElher, tenho de te contar... tenho um filho com a minha amante e eu vou trazê-lo!". 
Ela olhou para ele chocada,  mas não havia tempo a perder e ele saiu a correr para ir buscar o 5º filho.

Quando voltou, ficou surpreso ao ver apenas dois dos seus filhos. Nisto pergunta à mulher: "Querida, onde estão os outros dois filhos?"
Ela respondeu: "Parece que mais gente vê o telejornal. O pai deles veio buscá-los".

Tudo o que sou, devo a Bud Spencer

Bud Spencer foi talvez o maior responsável pelo meu desenvolvimento enquanto ser animal e humano.

Desde pequeno, perdão, desde muito novo, fui contagiado pelo italiano pouco falador. Da cerveja Budweiser e do actor Spencer Tracy, Carlo Vicente Pedersoli transformou-se em Bud Spencer. Fácil: apaixonado pela Bud, fã do Spencer.
Antes, já tinha sido grande campeão de natação. Um verdadeiro atleta. Da piscina para o cinema foi uma braçada. Das dele.

Seja como for, em mais um momento inédito na blogosfera nacional (para não dizer em todos os órgãos de comunicação internacional), o Simão Escuta vem prestar a homenagem merecida a um dos grandes senhores dos nossos tempos. E também dos tempos dos nossos pais e avós, porque ele, o Bud, já não vai para novo.

Longe vai a época em que, no meio das brincadeiras lá fora, parava para ver televisão nos Avós. E entre a RTP1 e a RTP2, dia sim dia não, passava um filme do grande Bud.
Os melhores eram com o seu amigo Trinitá (interpretado por Terrence Hill). Basicamente, era mocada até mais não. Mas com um pingo de humor.
Cresci muito nessa altura a nível intelectual. Porque… quer dizer, o Bud Spencer só arreava na malta quando tinha motivos. E eu percebi: só devemos agir quando temos motivos para isso. Só que depois o Bud também arreava na malta porque era divertido. E eu percebi: temos de ser divertidos.



E se deixo grandes elogios a Bud Spencer, tenho de deixar umas palavras a quem, apesar de ter a barriga menos proeminente, me mostrou os seus filmes pela primeira vez: o meu Avô Mário. Um deleite vê-lo a rir e a bater-me em jeito “olha esta berlaitada!”. Contagiante.

O Avô faz hoje 80 anos. Ainda estou a tentar que Bud Spencer apareça no jantar de logo.

Filosofia da mulher

Eu também quero ser aceite com esta ligeira massa adiposa que me cobre actualmente o six pack...




Roubado daqui.

POC também fala de Jessica Athayde (e vai haver humilhação)

Parece que anda aí uma polémica devido a umas fotografias de Jessica Athayde num qualquer desfile de moda. Normalmente não ligo nenhuma a essas coisas, porque toda a gente sabe que a maior parte das mulheres que desfilam não valem um caracol furado. Não têm ponta, literalmente, por onde se peguem.

Antes que alguém diga ou pense, acerca do tipo de corpo de uma mulher, que “gostos não se discutem”, eu digo já para passarem para o próximo blogue.
A única coisa menos boa na menina Athayde é o seu primeiro nome, com o qual não simpatizo muito. Isso e ter preferido o João Manzarra em vez do Simão Escuta, mas de certeza que foi por desconhecimento (se alguém conhecer a menina Athayde, que lhe faça chegar ao conhecimento este tasco duvidoso).

A respeito do corpo da menina Athayde, quem ousar criticar ou apontar um defeito, deve ser internado de imediato, sem contemplações. Homem e  (especialmente) mulher que a vejam em biquíni e não achem que aquilo é andar perto da perfeição, é porque têm muita inveja, muitos problemas de visão e muita estupidez associada.



Ela é uma mulher. Como se quer. Real. Com corpo. Bem feita. Medidas certas (OK, visto daqui não me parece que tenha 36 Copa C, mas está bom, sendo que ligeiramente mais, nunca se leva a mal).


Uma coisa é ser magra, outra é ser um espeto e andar a desfilar armada em boa. A menina Athayde, pela fotografia que vejo, desfilou como uma mulher. Respect.

Comentário elevado a post #20 (Anónimo descreve-nos a todos)

O nosso querido Anónimo veio fazer a síntese do que é este espaço. E deixa sugestões no penúltimo artigo. Obrigado (por nos fazeres sorrir).

"3 anos já deu mais do que para perceber que isto não tem futuro. Um blogue de bitaites, devaneios e piroseiras, frequentado por lampiões e por raparigas mal amadas. Há que mudar o rumo, e aí há duas hipóteses, transformar este espaço em algo com outro nível intelectua,l para o qual tenho dúvida que o autor tenha capacidade, ou transformar este espaço num local de agendamento de encontros de cariz sexual, com direito a classificação posterior e ranking associado. Se quiserem manter alguma coisa do passado que sejam os chocolates!"

Presentes de casamento: às vezes, a medição do ser humano

Ainda há dias estive no casamento de dois bons amigos. Aliás, fui padrinho, facto que me deixou dividido nos sentimentos: por um lado orgulhoso e lisonjeado; por outro, preocupado, pois quem me encarrega de tal responsabilidade, poderá não estar na plena posse das suas capacidades. Pessoalmente só me convidava para noivo, sei que seria muito acima da média no desempenho de tal função. No dia solene e nos outros a seguir.

Como padrinho, resolvi que o presente não seria dinheiro, o habitual hoje em dia. É que o dinheiro não vai servir de (quase) nada. Servir, serve, mas nunca (nunca) ficará associado a mim. Nunca os meus amigos (ou quaisquer outros noivos) irão ter ou usufruir de algo que, anos mais tarde, os irá recordar de mim. É impessoal.
Não estou a criticar quem o faz, já o fiz no passado, mas é assim que vejo as coisas. Portanto eu, o Zé e a namorada oferecemos uma viagem.

Esta lengalenga serve de introdução para quem casa com interesses financeiros. Serve de introdução para quem escolhe os padrinhos consoante o dinheiro que pensa receber de presente. Claramente os meus amigos não são essas pessoas. Mas há quem seja. Há quem se esqueça que o presente (seja dinheiro ou não) é uma amabilidade que nos fica bem a todos, como nos aniversários. É uma amabilidade que cada um utiliza como pode. Uns podem mais, outros infelizmente podem menos.

Atente-se no desabafo desta senhora noiva no Facebook:

Fonte



O Mundo está virado do avesso. 

3 anos e 1 dia de Simão Escuta: quase meio de século de magia

Não fosse uma leitora atenta e a data passava em vão.

Nestes quase 50 anos de blogue muita coisa aconteceu. O muro de Berlim caiu, apareceu a internet e a Odete Santos foi eleita deputada.
Dizem que o Simão Escuta teve responsabilidade em todos estes acontecimentos, mas não me quero vir aqui armar ao pingarelho. Prefiro que sejam vocês a concluir o óbvio.

O meu compromisso é o de voltar a ter minis, minuins e peaners com regularidade e com quantidade suficiente para todos vocês, seus lambões sedentos de borlas.


Até já.

Piada Farsola #68 - bêbado na manhã seguinte

Um tipo esteve a beber até a taberna fechar. Como era o último cliente, o empregado informou-o que iam fechar e que ele tinha que sair. 

O tipo levantou-se e caiu no chão. Tentou novamente levantar-se e caiu. Optou por se arrastar até à porta do bar. Voltou a levantar-se e voltou a cair. Já na rua tentou levantar-se e voltou a acontecer o mesmo: caiu. Foi assim para casa, tentando levantar-se e caindo sempre. 

Já em casa e pela manhã a mulher comentou: 
- Grande bebedeira ontem... 
Mas como é que sabes que cheguei bêbado ontem?
- Telefonaram da taberna. Deixaste lá a cadeira de rodas.


Mas e os pêlos?

Roubado daqui.






A reter: convém dar sempre um jeito na juba antes de ir para a festa...

As mulheres e as despedidas de solteira. Com anões. Dá nisto.

O Simão Escuta vem repudiar todas e quaisquer notícias que estejam para surgir na comunicação social e que insinuem que somos pais desta criança.

As amigas foram de despedida de solteira, a noiva fez o stripper de serviço (é hábito?) e a criança nasceu anã. É uma história bonita, especialmente se tentar imaginar, por imagens, todo este filme.


Se alguém tiver o contacto desta espanhola, ou até mesmo do anão, façam chegar ao tasco por favor. O nosso objectivo é fazer uma entrevista entre todos: noiva, actual marido e actual anão.

Existe esperança

Caros leitores, é com enorme emoção que avançamos, em primeira-mão (ou seja, como sempre), que os jovens estão a deixar de ir ao Facebook.

O último estudo revela números curiosos, segundo os quais os adolescentes estão a largar a maior rede social de todas, depois do próprio do Simão Escuta. Isto no espaço de 6 meses.
Parece-me uma amostragem demasiada curta. Isto é mais ou menos como fazer uma sondagem eleitoral, mas à porta de um partido.

Acho graça é o estudo não admitir que são os nossos apelos que estão a acabar com o Facebook.



Seja como for, assim que o Facebook fechar, este blogue vai renascer. 

Conversa entre namorados: será mesmo assim?

- Amor, queres ir ao ginásio comigo?
- Estás a chamar-me gorda?!
- Não! Deixa lá...
- Estás a chamar-me preguiçosa? 
- Tem calma, amor!
- Estás a chamar-me histérica?!
- Não disse nada disso!
- Então, estás a chamar-me mentirosa?!
- OK, pronto, não vás...
- Espera lá... Por que é que queres ir sozinho ao ginásio?

Mataram o nível de exigência que hoje existe no Benfica

E eu até sei quem foi. Chama-se Luís Filipe Vieira. Também chamado de Querido Líder. 
Mas o benfiquista sócio/adepto aceitou a mudança de pergaminhos no Clube. Por isso somos todos culpados. 

Estou sem palavras para a vergonha que assola o Campeão.